video-overlay

JÁ INICIÁMOS AS ATIVIDADES PRESENCIAIS

Após uma avaliação aturada, chegámos à conclusão que chegou a altura de assumirmos este desafio e os riscos que ele comporta e sabemos que estamos preparados para os enfrentar. Tal como há um mês nos preparámos num tempo recorde para oferecer aos nossos estudantes uma experiência integrada de ensino a distância que permitisse mitigar os efeitos do confinamento sobre o processo de ensino e aprendizagem, também agora nos estamos a preparar aturadamente para este regresso à vida no campus.

Este não será um regresso à normalidade plena. A necessidade imperiosa de assegurar ao máximo as condições de saúde pública que se impõem, determina que este regresso à vida académica seja feito de forma parcial e altamente regulamentada. Nesse sentido já está disponível o site regresso.ulusofona.pt onde todos os docentes e discentes podem verificar as regras de segurança e distanciamento social a aplicar neste período, bem como consultar a lista das unidades curriculares que voltarão a ter ensino presencial.

A nossa principal preocupação foi assegurar que só as unidades curriculares onde existe uma clara condicionante de presença física em ordem à aquisição das competências previstas voltariam a ter aulas presenciais. Simultaneamente implementámos um amplo conjunto de medidas de segurança em ordem a assegurar as melhores condições de ensino e frequência do campus nas circunstâncias complexas que vivemos. Desta forma garantimos o nosso objetivo de minimizar a presença de pessoas no campus evitando completamente quaisquer ajuntamentos ou contactos de proximidade.

A todos apelamos à maior civilidade e ao cumprimento pleno das recomendações emanadas pelos órgãos responsáveis da instituição. O regresso parcial às atividades presenciais é essencial em ordem ao cumprimento do nosso compromisso junto de todos os estudantes da Universidade Lusófona. Contamos com a colaboração ativa e empenhada de todos em ordem a ultrapassarmos mais este desafio.

Vamos voltar a estar juntos…mas à distância.

  • FAQs

      • 1. Quando e como vamos regressar à universidade / instituto?

        1. Quando e como vamos regressar à universidade / instituto?

        • 4 de maio – Abertura serviços no Campus. Proibido acesso de pessoas exteriores à Universidade. Acesso condicionado a funcionários.
        • 11 de maio – Autorização de frequência do Campus – alunos e docentes. Regresso de atividades de investigação e autorização de reuniões de grupos inferiores a 5 pessoas.
        • 18 de maio – Regresso à atividade presencial para aulas práticas e laboratoriais para as seguintes situações:
          • Unidades curriculares de natureza prática ou laboratorial que no todo ou em parte não foram lecionadas em regime de ensino a distância;
          • Unidades curriculares de 2.º e 3.º ciclos de estudo de natureza tutorial;
          • Unidades de projeto cujos trabalhos decorram isoladamente ou em grupos de reduzida dimensão em laboratório.

        2. As aulas vão decorrer até quando?

        2. As aulas vão decorrer até quando?

        A reorganização do calendário escolar prevê:

        • Período de lecionação e avaliação contínua para as unidades curriculares que estão a ser integralmente lecionadas em regime de ensino a distância: Aulas até 12 junho 2020  (Poderão  existir diferenças de calendarização entre UOs)
        • Período de lecionação e avaliação contínua para as unidades curriculares que não tiveram lecionação ou que só tiveram lecionação parcial em regime de ensino a distância (o aluno deve consultar calendário específico por UC): Aulas até 10 julho 2020 com concentração bissemanal de sessões se necessário
        • Época de Exames recurso: 15 a 31 julho 2020 (poderão haver calendários diferenciados por UO)
        • Exames época especial: 1 a 25 setembro 2020 (poderão haver calendários diferenciados por UO)
        • Extensão de calendário para apresentação e defesa de teses e projetos finais 2019/20: Até 28 de fevereiro 2021

        3. Que aulas voltam a ser presenciais?

        3. Que aulas voltam a ser presenciais?

        Apenas irão iniciar as aulas práticas e laboratoriais para as seguintes situações:

        • As unidades curriculares que, pela sua característica e mantendo os objetivos definidos na Ficha de Unidade Curricular, sejam identificadas como passíveis de ser lecionadas com recurso a ensino a distância, mantêm-se, até ao final do presente ano letivo, nesse regime.
        • As unidades curriculares que exijam aulas/atividades presenciais, no todo ou em parte, serão ministradas no regime presencial (ou misto, recorrendo a sessões síncronas), garantindo-se em regime presencial o cumprimento das normas de segurança definidas no presente documento.
        • As sessões tutoriais, nomeadamente de 2.º e 3.º ciclos de estudos e de acompanhamento de estágios ou trabalhos de finais de curso, dependendo da avaliação efetuada pelos responsáveis (Diretores do ciclo de estudos e orientadores), podem ser ministradas em regime presencial, garantindo-se o cumprimento das normas de segurança definidas no presente documento.

        Todas as unidades curriculares que não se enquadrem nestas tipologias continuarão a ser lecionadas até final do ano letivo em regime de ensino a distância.

        4. Vamos deixar de ter aulas online (e-learning)?

        4. Vamos deixar de ter aulas online (e-learning)?

        Não!  Todas as unidades curriculares que não se enquadrem nas tipologias abaixo continuarão a ser lecionadas até final do ano letivo em regime de ensino a distância.

        Serão apenas lecionadas em regime presencial:

        • As unidades curriculares que exijam aulas/atividades presenciais, no todo ou em parte, serão ministradas no regime presencial (ou misto, recorrendo a sessões síncronas), garantindo-se em regime presencial o cumprimento das normas de segurança definidas no presente documento.
        • As sessões tutoriais, nomeadamente de 2.º e 3.º ciclos de estudos e de acompanhamento de estágios ou trabalhos de finais de curso, dependendo da avaliação efetuada pelos responsáveis (Diretores do ciclo de estudos e orientadores), podem ser ministradas em regime presencial, garantindo-se o cumprimento das normas de segurança definidas no presente documento.

        Ou seja:
        As unidades curriculares que, pela sua característica e mantendo os objetivos definidos na Ficha de Unidade Curricular, sejam identificadas como passíveis de ser lecionadas com recurso a ensino a distância, mantêm-se, até ao final do presente ano letivo, nesse regime.

        5. E se eu estiver impedido de ir às aulas vou chumbar por faltas? E não posso fazer os exames?

        5. E se eu estiver impedido de ir às aulas vou chumbar por faltas? E não posso fazer os exames?

        • Até ao final do ano letivo mantém-se a suspensão do regime de faltas a todas as unidades curriculares.
        • Aos alunos que, por impossibilidade ou objeção, não pretendam frequentar as aulas presenciais não é vedado o acesso às avaliações a realizar nos termos definidos na FUC em vigor.

        6. E como faço para ter acesso às matérias de estudo e aos conteúdos das aulas?

        6. E como faço para ter acesso às matérias de estudo e aos conteúdos das aulas?

        • Os docentes das unidades curriculares cujas aulas serão lecionadas, no todo ou em parte, em regime presencial, devem providenciar a totalidade dos materiais pedagógicos necessários aos alunos, nomeadamente no Moodle (com eventuais ligações a outros recursos como o EduCast).
        • Os horários das unidades curriculares a ser lecionadas presencialmente, bem como o calendário de avaliações presenciais, serão reorganizados por cada Unidade Orgânica, obedecendo ao calendário definido no presente documento. Na redefinição dos horários, quer para as aulas, quer para as avaliações presenciais, considera a dimensão de cada turma, assegurando que em sala, se obedece aos critérios e requisitos de segurança aqui definidos.

        7. Temos de ir à universidade fazer as avaliações?

        7. Temos de ir à universidade fazer as avaliações?

        Depende!

        • Existe a possibilidade de avaliação ser totalmente realizada recorrendo a métodos a distância, por compatibilidade dos métodos inicialmente previstos ou pela sua adaptação mantendo os objetivos e garantindo a manutenção dos critérios originalmente definidos na FUC;
        • Parte da avaliação pode decorrer por métodos de ensino a distância e complementada com atividade de avaliação presencial;
        • Ou a totalidade da avaliação depende de atividade de avaliação presencial.

        Para melhor entenderes estas modalidades e os critérios de avaliação aconselhamos a ler o PONTO 5 – Procedimentos Académicos e de Avaliação do plano de regresso às aulas

        8. Mas todas estas alterações garantem a lecionação das unidades curriculares?

        8. Mas todas estas alterações garantem a lecionação das unidades curriculares?

        Sim! É assegurada a lecionação da totalidade de horas letivas definidas para a unidade curricular, respeitando os objetivos de ensino-aprendizagem fixados, bem como a realização das avaliações às mesmas no cumprimento do definido nas FUC.

        9. Mantém-se em vigor os despachos publicados no início da pandemia que alteravam as condições de funcionamento da universidade?

        9. Mantém-se em vigor os despachos publicados no início da pandemia que alteravam as condições de funcionamento da universidade?

        Mantêm-se em vigor durante o presente ano letivo:

        • O Despacho n.º 7/2020, de 23 de março, regras relativas às alterações nas avaliações pela aplicação do ensino a distância determinado pela contenção à COVID-19, exceto no que refere o disposto no seu anexo 1 relativo à necessidade de assegurar um mínimo de 50% de avaliação final em provas presenciais, que deixa de vigorar.
        • O Despacho n.º 10/2020, de 18 de março, relativo à realização de provas públicas de defesa de mestrado e doutoramento por teleconferência.
        • O Despacho n.º 11/2020, de 23 de março, relativo ao adiamento de entrega de trabalhos finais de doutoramento, mestrado e da realização de estágios em qualquer ciclo de estudos, aplicável também a trabalhos de fim de curso.

        10. A época especial de Setembro está disponível para todos os alunos de forma gratuita mesmo os que têm mais de 30 ECTS em atraso?

        10. A época especial de Setembro está disponível para todos os alunos de forma gratuita mesmo os que têm mais de 30 ECTS em atraso?

        Depende. Todos os estudantes têm acesso gratuito à época especial para unidades curriculares de 2º semestre ou anuais, mesmo que não reúnam condições para usufruir desta época.

        As unidades curriculares de 1º semestre apenas estão disponíveis, sujeitas ao pagamento de emolumento devido, para os estudantes que reúnam condições para realizar a época especial.

        11. A época especial de Setembro está disponível para todos os alunos de forma gratuita mesmos para as cadeiras do 1º semestre que o aluno não conseguiu fazer?

        11. A época especial de Setembro está disponível para todos os alunos de forma gratuita mesmos para as cadeiras do 1º semestre que o aluno não conseguiu fazer?

        Não. Este benefício só se aplica às unidades curriculares do 2º semestre porque só nesse período é que vigoraram as normas de exceção aplicáveis.

        12. Posso fazer gratuitamente para o ano (20/21) as Unidades Curriculares de 2º semestre e 1º semestre que não fizer este ano?

        12. Posso fazer gratuitamente para o ano (20/21) as Unidades Curriculares de 2º semestre e 1º semestre que não fizer este ano?

        Não. As únicas unidades curriculares que pode realizar até 28 de fevereiro de 2021 sem custos são os estágios, entregas de Teses, projetos e dissertações e tal só é válido para os estudantes inscritos nas unidades curriculares correspondentes no ano letivo 2019/20.

        13. E as Unidades Curriculares que não conseguir fazer este ano do 1º e 2º semestre vou ter de pagar propina mensal se me inscrever para o ano ou também é gratuito?

        13. E as Unidades Curriculares que não conseguir fazer este ano do 1º e 2º semestre vou ter de pagar propina mensal se me inscrever para o ano ou também é gratuito?

        Caso reprove a uma unidade curricular em 2019/20, terá que se inscrever à mesma no próximo ano o letivo e pagar a propina mensal referente a essa unidade curricular.

        14. Os Alunos que não tenham tido aprovação em avaliação contínua podem fazer o Exame de Recurso e o Exame de Época Especial (para aprovação e/ou melhoria) com isenção de pagamento?

        14. Os Alunos que não tenham tido aprovação em avaliação contínua podem fazer o Exame de Recurso e o Exame de Época Especial (para aprovação e/ou melhoria) com isenção de pagamento?

        Para aprovação nas unidades curriculares de 2º semestre e anuais, os estudantes têm acesso à realização de ambas as épocas (Recurso e de Época Especial) com isenção do pagamento.

        As unidades curriculares de 1º semestre apenas estão disponíveis, sujeitas ao pagamento de emolumento devido, para os estudantes que reúnam condições para realizar a época especial.

        Já os exames para melhoria de nota são pagos.

        15. Os alunos finalistas e não finalistas podem realizar qualquer prova de exame época especial do 1º semestre?

        15. Os alunos finalistas e não finalistas podem realizar qualquer prova de exame época especial do 1º semestre?

        Os alunos que não sejam finalistas não poderão realizar qualquer prova de exame época especial do 1º semestre.

        Caso sejam finalistas ou cumpram qualquer outro dos requisitos para acesso a época especial para UCs de 1º semestre do ano letivo de 19/20, o exame é pago de acordo com a tabela de emolumentos em vigor.

        A exceção definida na sequência da Pandemia de COVID – 19 apenas se aplica às UCs de 2º semestre, sendo que nesses casos, todos os alunos, independentemente da sua situação, têm acesso a poder realizar a prova de exame de época especial sem ter com isso quaisquer custos.

        16. Tenho acesso aos exames gratuitos se não tiver a minha situação financeira regularizada?

        16. Tenho acesso aos exames gratuitos se não tiver a minha situação financeira regularizada?

        Não. Só os alunos que tenham a situação regularizada, quer em termos de inscrição às unidades curriculares, quer em termos de pagamento podem fazer os exames de forma gratuita.

      • 1. Quando e como vamos regressar à universidade / instituto?

        1. Quando e como vamos regressar à universidade / instituto?

        O Regresso à Universidade / Instituto vai realizar-se de forma faseada com o seguinte calendário de reabertura:

        • 4 de maio – Abertura serviços na Universidade. Proibido acesso de pessoas exteriores à Universidade. Acesso condicionado a funcionários.
        • 11 de maio – Autorização de frequência na Universidade – estudantes e docentes. Regresso de atividades de investigação e autorização de reuniões de grupos inferiores a 5 pessoas.
        • 18 de maio – Regresso à atividade presencial para aulas práticas e laboratoriais para as seguintes situações:
          • Unidades curriculares de natureza prática ou laboratorial que no todo ou em parte não foram lecionadas em regime de ensino a distância;
          • Unidades curriculares de 2º e 3º ciclo de natureza tutorial;
          • Unidades de projeto cujos trabalhos decorrem isoladamente ou em grupos de reduzida dimensão em laboratório.
          • Situações justificadas de avaliação contínua e exame.

        2. As aulas vão decorrer até quando?

        2. As aulas vão decorrer até quando?

        A reorganização do calendário escolar prevê:

        • Período de lecionação e avaliação contínua para as unidades curriculares que não tiveram lecionação ou que só tiveram lecionação parcial ou parcial em regime de ensino a distância: Aulas até 10 julho com concentração bissemanal de sessões se necessário. Avaliação contínua até 14 de julho.
        • Período de lecionação e avaliação contínua para as unidades curriculares que estão a ser integralmente lecionadas em regime de ensino a distância: Aulas até 13 junho (poderão existir acertos de calendário por U.O.)
        • Período final da Avaliação Contínua (após término das aulas): 15 de junho a 3 de julho últimas provas de avaliação contínua. Período para lançamento das notas: Até 08 de julho
        • Época de Exames recurso (para Avaliação Contínua que terminou a 3 de julho): 9 a 31 julho 2020 (poderá haver calendários diferenciados por UO).
        • Época de Exames recurso (para Avaliação Contínua que terminou a 14 de julho): 15 a 31 julho 2020 (poderá haver calendários diferenciados por UO).
        • Exames época especial (poderão haver calendários diferenciados por UO): 1 a 25 setembro 2020
        • Extensão de calendário para apresentação e defesa de teses e projetos finais 19/20: Até 28 de fevereiro 2021

        3. Que aulas voltam a ser presenciais?

        3. Que aulas voltam a ser presenciais?

        Apenas irão iniciar as aulas práticas e laboratoriais para as seguintes situações:

        • Unidades curriculares de natureza prática ou laboratorial que no todo ou em parte não foram lecionadas em regime de ensino a distância;
        • Unidades curriculares de 2º e 3º ciclo de natureza tutorial;
        • Unidades de projeto cujos trabalhos decorrem isoladamente ou em grupos de reduzida dimensão em laboratório.

        Todas as unidades curriculares que não se enquadrem nestas tipologias continuarão a ser lecionadas até final do ano letivo em regime de ensino a distância.

        4. Vamos deixar de ter aulas online (e-learning)?

        4. Vamos deixar de ter aulas online (e-learning)?

        Não! Todas as unidades curriculares que não se enquadrem nas tipologias abaixo continuarão a ser lecionadas até final do ano letivo em regime de ensino a distância.

        Serão apenas lecionadas em regime presencial:

        • Unidades curriculares de natureza prática ou laboratorial que no todo ou em parte não foram lecionadas em regime de ensino a distância;
        • Unidades curriculares de 2º e 3º ciclo de natureza tutorial
        • Unidades de projeto cujos trabalhos decorrem isoladamente ou em grupos de reduzida dimensão em laboratório.

        Ou seja:

        As unidades curriculares que, pela sua característica e mantendo os objetivos definidos na Ficha de Unidade Curricular, sejam identificadas como passíveis de ser lecionadas com recurso a ensino a distância, mantêm-se, até ao final do presente ano letivo, nesse regime.

        5. E se eu estiver impedido de ir às aulas vou chumbar por faltas? E não posso fazer os exames?

        5. E se eu estiver impedido de ir às aulas vou chumbar por faltas? E não posso fazer os exames?

        • Até ao final do ano letivo mantém-se a suspensão do regime de faltas a todas as unidades curriculares.
        • Aos estudantes que, por impossibilidade ou objeção, não pretendam frequentar as aulas presenciais não é vedado o acesso às avaliações a realizar nos termos definidos na FUC em vigor.

        6. E como faço para ter acesso às matérias de estudo e aos conteúdos das aulas?

        6. E como faço para ter acesso às matérias de estudo e aos conteúdos das aulas?

        • Os docentes das unidades curriculares cujas aulas serão lecionadas, no todo ou em parte, em regime presencial, devem providenciar a totalidade dos materiais pedagógicos necessários aos estudantes, nomeadamente no Moodle (com eventuais ligações a outros recursos como o EduCast).
        • Os horários das unidades curriculares a ser lecionadas presencialmente, bem como o calendário de avaliações presenciais, serão reorganizados por cada Unidade Orgânica, obedecendo ao calendário definido no documento de Plano de Regresso à ULP. Na redefinição dos horários, quer para as aulas, quer para as avaliações presenciais, considera a dimensão de cada turma, assegurando que em sala, se obedece aos critérios e requisitos de segurança definidos no mesmo.

        7. Temos de ir à universidade fazer as avaliações?

        7. Temos de ir à universidade fazer as avaliações?

        Depende!

        • Quanto às avaliações em que, verificados os elementos de avaliação descritos nas FUC, se constate que os mesmos podem decorrer com recurso a ensino à distância, aplicar essa modalidade e conduzir a avaliação dessa forma;
        • Quanto às avaliações em que, verificados os elementos de avaliação descritos nas FUC, se constate que os mesmos podem ser adaptados para realização com recurso a ensino à distância mantendo os objetivos definidos originalmente, aplicar a modalidade de ensino à distância para realização da avaliação;
        • Em todos os outros casos, a avaliação decorrerá exclusivamente por atividade presencial.

        8. Mas todas estas alterações garantem a lecionação das unidades curriculares?

        8. Mas todas estas alterações garantem a lecionação das unidades curriculares?

        Sim! É assegurada a lecionação da totalidade de horas letivas definidas para a unidade curricular, respeitando os objetivos de ensino-aprendizagem fixados, bem como a realização das avaliações às mesmas no cumprimento do definido nas FUC.

        9. Mantém-se em vigor os despachos publicados no início da pandemia que alteravam as condições de funcionamento da universidade?

        9. Mantém-se em vigor os despachos publicados no início da pandemia que alteravam as condições de funcionamento da universidade?

        Mantêm-se vigentes, durante o presente ano letivo:

        • O Despacho Reitoral n.º 13/2020, de 23 de março, regras relativas às alterações nas avaliações pela aplicação do ensino à distância determinado pela contenção à COVID-19, exceto no que refere o disposto no seu anexo 1, relativo à necessidade de assegurar um mínimo de 50% de avaliação final em provas presenciais, que deixa de vigorar;
        • O Despacho Reitoral n.º 14/2020, de 17 de abril, relativo às regras de avaliação de ensino à distância. O princípio de que as avaliações dos exames de recurso por prova escrita decorrerão presencialmente mantém-se, podendo nos casos contemplados neste plano, se aplicável, ser substituídos por modalidades de avaliação à distância.
        • O Despacho Conjunto n.º 16/2020, de 18 de março, relativo a realização de provas de mestrado e doutoramento por teleconferência.
        • O Despacho Conjunto n.º 17/2020, de 23 de março, relativo ao adiamento de entrega de trabalhos finais de doutoramento, mestrado e da realização de estágios em qualquer ciclo de estudos, aplicável também a trabalhos de fim de curso.
        • O Despacho Conjunto n.º 18/2020, de 30 de março, relativo a Provas de Acesso para Maiores de 23 anos – através de videoconferência;
        • O Despacho Conjunto nº19/2020, relativo ao Calendário de candidaturas para o ano letivo 2020-2021 (Republicação);
        • O Despacho Conjunto nº20/2020, de 29 de abril de 2020, relativo ao Regulamento dos Regimes dos Concursos Especiais.

        10. A época especial de Setembro está disponível para todos os alunos de forma gratuita mesmo os que têm mais de 30 ECTS em atraso?

        10. A época especial de Setembro está disponível para todos os alunos de forma gratuita mesmo os que têm mais de 30 ECTS em atraso?

        Depende. Todos os estudantes têm acesso gratuito à época especial para unidades curriculares de 2º semestre ou anuais, mesmo que não reúnam condições para usufruir desta época.

        As unidades curriculares de 1º semestre apenas estão disponíveis, sujeitas ao pagamento de emolumento devido, para os estudantes que reúnam condições para realizar a época especial.

        11. A época especial de Setembro está disponível para todos os alunos de forma gratuita mesmos para as cadeiras do 1º semestre que o aluno não conseguiu fazer?

        11. A época especial de Setembro está disponível para todos os alunos de forma gratuita mesmos para as cadeiras do 1º semestre que o aluno não conseguiu fazer?

        Não. Este benefício só se aplica às unidades curriculares do 2º semestre porque só nesse período é que vigoraram as normas de exceção aplicáveis.

        12. Posso fazer gratuitamente para o ano (20/21) as Unidades Curriculares de 2º semestre e 1º semestre que não fizer este ano?

        12. Posso fazer gratuitamente para o ano (20/21) as Unidades Curriculares de 2º semestre e 1º semestre que não fizer este ano?

        Não. As únicas unidades curriculares que pode realizar até 28 de fevereiro de 2021 sem custos são os estágios, entregas de Teses, projetos e dissertações e tal só é válido para os estudantes inscritos nas unidades curriculares correspondentes no ano letivo 2019/20.

        13. E as Unidades Curriculares que não conseguir fazer este ano do 1º e 2º semestre vou ter de pagar propina mensal se me inscrever para o ano ou também é gratuito?

        13. E as Unidades Curriculares que não conseguir fazer este ano do 1º e 2º semestre vou ter de pagar propina mensal se me inscrever para o ano ou também é gratuito?

        Caso reprove a uma unidade curricular em 2019/20, terá que se inscrever à mesma no próximo ano o letivo e pagar a propina mensal referente a essa unidade curricular.

        14. Os Alunos que não tenham tido aprovação em avaliação contínua podem fazer o Exame de Recurso e o Exame de Época Especial (para aprovação e/ou melhoria) com isenção de pagamento?

        14. Os Alunos que não tenham tido aprovação em avaliação contínua podem fazer o Exame de Recurso e o Exame de Época Especial (para aprovação e/ou melhoria) com isenção de pagamento?

        Para aprovação nas unidades curriculares de 2º semestre e anuais, os estudantes têm acesso à realização de ambas as épocas (Recurso e de Época Especial) com isenção do pagamento.

        As unidades curriculares de 1º semestre apenas estão disponíveis, sujeitas ao pagamento de emolumento devido, para os estudantes que reúnam condições para realizar a época especial.

        Já os exames para melhoria de nota são pagos.

        15. Os alunos finalistas e não finalistas podem realizar qualquer prova de exame época especial do 1º semestre?

        15. Os alunos finalistas e não finalistas podem realizar qualquer prova de exame época especial do 1º semestre?

        Os alunos que não sejam finalistas não poderão realizar qualquer prova de exame época especial do 1º semestre.

        Caso sejam finalistas ou cumpram qualquer outro dos requisitos para acesso a época especial para UCs de 1º semestre do ano letivo de 19/20, o exame é pago de acordo com a tabela de emolumentos em vigor.

        A exceção definida na sequência da Pandemia de COVID – 19 apenas se aplica às UCs de 2º semestre, sendo que nesses casos, todos os alunos, independentemente da sua situação, têm acesso a poder realizar a prova de exame de época especial sem ter com isso quaisquer custos.

        16. Tenho acesso aos exames gratuitos se não tiver a minha situação financeira regularizada?

        16. Tenho acesso aos exames gratuitos se não tiver a minha situação financeira regularizada?

        Não. Só os alunos que tenham a situação regularizada, quer em termos de inscrição às unidades curriculares, quer em termos de pagamento podem fazer os exames de forma gratuita.

      • 1. Quando e como vamos regressar ao instituto?

        1. Quando e como vamos regressar ao instituto?

        • 4 de maio – Abertura serviços no Campus. Proibido acesso de pessoas exteriores ao Instituto. Acesso condicionado a funcionários.
        • 11 de maio – Autorização de frequência do Campus – alunos e docentes. Regresso de atividades de investigação e autorização de reuniões de grupos inferiores a 5 pessoas.

        2. As aulas vão decorrer até quando?

        2. As aulas vão decorrer até quando?

        A reorganização do calendário escolar prevê:

        • Período de lecionação e avaliação contínua para as unidades curriculares que estão a ser integralmente lecionadas em regime de ensino a distância: Aulas até 16 junho 2020.
        • Exames de 1ª Época:  22 de junho 2020 a 03 de julho 2020
        • Exames de 2ª Época de Recurso: 06 de julho a 31 de julho 2020
        • Exames de Época Especial: 01 de setembro a 16 setembro 2020
        • Extensão de calendário para apresentação e defesa de dissertações e estágios dos Cursos Técnicos Superiores Profissionais 2019/20: até 28 de fevereiro 2021

        3. Vamos deixar de ter aulas online (e-learning)?

        3. Vamos deixar de ter aulas online (e-learning)?

        Não! Todas as unidades curriculares continuarão a ser lecionadas até final do ano letivo em regime de ensino a distância.

        4. Temos de ir ao instituto fazer as avaliações?

        4. Temos de ir ao instituto fazer as avaliações?

        Depende!

        • Existe a possibilidade de avaliação ser totalmente realizada recorrendo a métodos a distância, por compatibilidade dos métodos inicialmente previstos ou pela sua adaptação mantendo os objetivos e garantindo a manutenção dos critérios originalmente definidos na FUC;
        • Parte da avaliação pode decorrer por métodos de ensino a distância e complementada com atividade de avaliação presencial;
        • Ou a totalidade da avaliação depende de atividade de avaliação presencial

        5. Mantém-se em vigor os despachos publicados no início da pandemia que alteravam as condições de funcionamento do instituto?

        5. Mantém-se em vigor os despachos publicados no início da pandemia que alteravam as condições de funcionamento do instituto?

        Mantêm-se em vigor durante o presente ano letivo:

        • O Despacho n.º 02/2020, de 23 de março, regras relativas às alterações nas avaliações pela aplicação do ensino a distância determinado pela contenção à COVID-19, exceto no que refere o disposto no seu anexo 1 relativo à necessidade de assegurar um mínimo de 50% de avaliação final em provas presenciais, que deixa de vigorar.
        • O Despacho Conjunto n.º 05/2020, de 18 de março, relativo à realização de provas públicas de defesa de mestrado por teleconferência.
        • O Despacho Conjunto nº 06/2020, de 23 de março, relativo adiamento de entrega de trabalhos finais de mestrado e de realização de estágios em qualquer ciclo de estudos.
      • 1. Quando e como vamos regressar ao instituto?

        1. Quando e como vamos regressar ao instituto?

        • 4 de maio – Abertura serviços no Campus. Proibido acesso de pessoas exteriores ao Instituto. Acesso condicionado a funcionários.
        • 11 de maio – Autorização de frequência do Campus – estudantes e docentes. Regresso de atividades de investigação e autorização de reuniões de grupos inferiores a 5 pessoas.
        • 18 de maio – Regresso à atividade presencial para aulas práticas e laboratoriais para as seguintes situações:
          • Unidades curriculares de natureza prática ou laboratorial que no todo ou em parte não foram lecionadas em regime de ensino a distância;
          • Unidades curriculares de 2.º ciclo de estudos de natureza tutorial;
          • Unidades de projeto cujos trabalhos decorram isoladamente ou em grupos de reduzida dimensão em laboratório.

        2. As aulas vão decorrer até quando?

        2. As aulas vão decorrer até quando?

        A reorganização do calendário escolar prevê:

        • Período de lecionação e avaliação contínua para as unidades curriculares que estão a ser integralmente lecionadas em regime de ensino a distância: Aulas até 30 junho 2020
        • Período de lecionação e avaliação contínua para as unidades curriculares que não tiveram lecionação ou que só tiveram lecionação parcial em regime de ensino a distância (o estudante deve consultar calendário específico por UC): Aulas poderão decorrer até 09 julho 2020 com concentração bissemanal de sessões se necessário
        • Época de Exames: 01 a 31 julho 2020 (poderá haver calendários diferenciados por curso)
        • Exames época especial: 1 a 25 setembro 2020 (poderá haver calendários diferenciados por curso)
        • Extensão de calendário para apresentação e defesa de teses e projetos finais 2019/2020: Até 28 de fevereiro 2021

        3. Que aulas voltam a ser presenciais?

        3. Que aulas voltam a ser presenciais?

        Apenas irão iniciar as aulas práticas e laboratoriais para as seguintes situações:

        • As unidades curriculares que, pela sua caraterística, e mantendo os objetivos definidos na Ficha de Unidade Curricular, sejam identificadas como passíveis de ser lecionadas com recurso a ensino a distância, mantêm-se, até ao final do presente ano letivo, nesse regime.
        • As unidades curriculares que exijam aulas / atividades presenciais, no todo ou em parte, serão ministradas no regime presencial (ou misto, recorrendo a sessões síncronas), garantindo-se em regime presencial o cumprimento das normas de segurança definidas no presente documento.
        • As sessões tutoriais, nomeadamente de 2.º ciclo de estudos e de acompanhamento de estágios ou trabalhos de finais de curso, dependendo da avaliação efetuada pelos responsáveis (diretores de curso e orientadores), podem ser ministradas em regime presencial, garantindo-se o cumprimento das normas de segurança definidas no presente documento.

        Todas as unidades curriculares que não se enquadrem nestas tipologias continuarão a ser lecionadas até final do ano letivo em regime de ensino a distância.

        4. Vamos deixar de ter aulas online (e-learning)?

        4. Vamos deixar de ter aulas online (e-learning)?

        Não!  Todas as unidades curriculares que não se enquadrem nas tipologias abaixo continuarão a ser lecionadas até final do ano letivo em regime de ensino a distância.

        Serão apenas lecionadas em regime presencial:

        • As unidades curriculares que exijam aulas/atividades presenciais, no todo ou em parte, serão ministradas no regime presencial (ou misto, recorrendo a sessões síncronas), garantindo-se em regime presencial o cumprimento das normas de segurança definidas no presente documento.
        • As sessões tutoriais, nomeadamente de 2.º ciclo de estudos e de acompanhamento de estágios ou trabalhos de finais de curso, dependendo da avaliação efetuada pelos responsáveis (diretores de curso e orientadores), podem ser ministradas em regime presencial, garantindo-se o cumprimento das normas de segurança definidas no presente documento.

        Ou seja:
        As unidades curriculares que, pela sua característica e mantendo os objetivos definidos na Ficha de Unidade Curricular, sejam identificadas como passíveis de ser lecionadas com recurso a ensino a distância, mantêm-se, até ao final do presente ano letivo, nesse regime.

        5. E se eu estiver impedido de ir às aulas vou chumbar por faltas? E não posso fazer os exames?

        5. E se eu estiver impedido de ir às aulas vou chumbar por faltas? E não posso fazer os exames?

        • Até ao final do ano letivo mantém-se a suspensão do regime de faltas a todas as unidades curriculares.
        • Aos alunos que, por impossibilidade ou objeção, não pretendam frequentar as aulas presenciais não é vedado o acesso às avaliações a realizar nos termos definidos na FUC em vigor.

        6. E como faço para ter acesso às matérias de estudo e aos conteúdos das aulas?

        6. E como faço para ter acesso às matérias de estudo e aos conteúdos das aulas?

        • Os docentes das unidades curriculares cujas aulas serão lecionadas, no todo ou em parte, em regime presencial, devem garantir que as suas aulas presenciais são transmitidas através da ferramenta Microsoft Teams, para que às mesmas possam assistir os estudantes que não puderam estar presentes fisicamente.
        • Os horários das unidades curriculares a serem lecionadas presencialmente, bem como o calendário de avaliações presenciais, serão reorganizados por cada curso, obedecendo ao calendário definido no presente documento. Na redefinição dos horários, quer para as aulas, quer para as avaliações presenciais, considera-se a dimensão de cada turma, assegurando que em sala se obedece aos critérios e requisitos de segurança aqui definidos.

        7. Temos de ir à universidade fazer as avaliações?

        7. Temos de ir à universidade fazer as avaliações?

        Depende!

        • Existe a possibilidade de a avaliação ser totalmente realizada recorrendo a métodos a distância, por compatibilidade dos métodos inicialmente previstos ou pela sua adaptação, mantendo os objetivos e garantindo a manutenção dos critérios originalmente definidos na FUC;
        • Parte da avaliação pode decorrer por métodos de ensino a distância e complementada com atividade de avaliação presencial;
        • Ou a totalidade da avaliação depende de atividade de avaliação presencial.

        Para melhor entenderes estas modalidades e os critérios de avaliação aconselhamos a ler o PONTO 5 – Procedimentos Académicos e de Avaliação do plano de regresso às aulas

        8. Mas todas estas alterações garantem a lecionação das unidades curriculares?

        8. Mas todas estas alterações garantem a lecionação das unidades curriculares?

        Sim! É assegurada a lecionação da totalidade de horas letivas definidas para a unidade curricular, respeitando os objetivos de ensino-aprendizagem fixados, bem como a realização das avaliações às mesmas no cumprimento do definido nas FUC.

        9. Mantêm-se em vigor os despachos publicados no início da pandemia que alteravam as condições de funcionamento do instituto?

        9. Mantêm-se em vigor os despachos publicados no início da pandemia que alteravam as condições de funcionamento do instituto?

        Mantêm-se em vigor durante o presente ano letivo:

        • O Despacho da Direção n.º 1/2020, de 24 de março, regras relativas às alterações nas avaliações pela aplicação do ensino a distância determinado pela contenção à COVID-19, exceto no que refere o disposto no seu anexo 1 relativo à necessidade de assegurar um mínimo de 50% de avaliação final em provas presenciais, que deixa de vigorar.
        • O Despacho Conjunto n.º 2/2020, de 24 de março, relativo à realização de provas públicas de defesa de mestrado por teleconferência.
        • O Despacho Conjunto n.º 4/2020, de 24 de março, relativo ao adiamento de entrega de trabalhos finais de mestrado e da realização de estágios em qualquer ciclo de estudos, aplicável também a trabalhos de fim de curso

        10. Tenho acesso aos exames gratuitos se não tiver a minha situação financeira regularizada?

        10. Tenho acesso aos exames gratuitos se não tiver a minha situação financeira regularizada?

        Não. Só os alunos que tenham a situação regularizada, quer em termos de inscrição às unidades curriculares, quer em termos de pagamento podem fazer os exames de forma gratuita.

      • 1. Quando e como vamos regressar ao ISLA

        1. Quando e como vamos regressar ao ISLA

        • 4 de maio – Abertura de serviços na instituição e autorização de frequência da Instituição – alunos e docentes. Regresso de atividades de investigação e autorização de reuniões de grupos inferiores a 5 pessoas.
        • 18 de maio – Regresso à atividade presencial para avaliações presenciais e aulas práticas e laboratoriais para as seguintes situações:
          • Avaliação contínua (provas escritas presencias), de UC’s que já tenham concluído;
          • Unidades curriculares de natureza prática ou laboratorial que no todo ou em parte não foram lecionadas em regime de ensino a distância;
          • Unidades curriculares de 2.º ciclo de estudo de natureza tutorial;
          • Unidades de projeto cujos trabalhos decorram isoladamente ou em grupos de reduzida dimensão em laboratório.

        2. As aulas vão decorrer até quando?

        2. As aulas vão decorrer até quando?

        À partida, o calendário escolar em vigor não requer qualquer alteração, pelo que, tal como definido, o período letivo do 2º Semestre decorrerá até 10 de julho, do qual estão previstas as 3 últimas semanas para a compensação de horas de contacto e provas finais de avaliações contínuas.

        3. Que aulas voltam a ser presenciais?

        3. Que aulas voltam a ser presenciais?

        Apenas irão iniciar as aulas práticas e laboratoriais para as seguintes situações:

        • As unidades curriculares que, pela sua característica e mantendo os objetivos definidos na Ficha de Unidade Curricular, sejam identificadas como passíveis de ser lecionadas com recurso a ensino a distância, mantêm-se, até ao final do presente ano letivo, nesse regime.
        • As unidades curriculares que exijam aulas/atividades presenciais, no todo ou em parte, serão ministradas no regime presencial (ou misto, recorrendo a sessões síncronas), garantindo-se em regime presencial o cumprimento das normas de segurança definidas no presente documento.
        • As sessões tutoriais, nomeadamente de 2.º ciclo de estudos e de acompanhamento de estágios ou trabalhos de finais de curso, dependendo da avaliação efetuada pelos responsáveis (Diretores do ciclo de estudos e orientadores), podem ser ministradas em regime presencial, garantindo-se o cumprimento das normas de segurança definidas no “Plano de regresso ao ISLA-IPGT – novamente juntos… mas a distância”.

        Todas as unidades curriculares que não se enquadrem nestas tipologias continuarão a ser lecionadas até final do ano letivo em regime de ensino a distância.

        4. Vamos deixar de ter aulas online (e-learning)?

        4. Vamos deixar de ter aulas online (e-learning)?

        Não!  Todas as unidades curriculares que não se enquadrem nas tipologias abaixo continuarão a ser lecionadas até final do ano letivo em regime de ensino a distância.

        Serão apenas lecionadas em regime presencial:

        • As unidades curriculares que exijam aulas/atividades presenciais, no todo ou em parte, serão ministradas no regime presencial (ou misto, recorrendo a sessões síncronas), garantindo-se em regime presencial o cumprimento das normas de segurança definidas no presente documento.
        • As sessões tutoriais, nomeadamente de 2.º ciclo de estudos e de acompanhamento de estágios ou trabalhos de finais de curso, dependendo da avaliação efetuada pelos responsáveis (Diretores do ciclo de estudos e orientadores), podem ser ministradas em regime presencial, garantindo-se o cumprimento das normas de segurança definidas no “Plano de regresso ao ISLA-IPGT – novamente juntos… mas a distância”.

        Ou seja:

        As unidades curriculares que, pela sua característica e mantendo os objetivos definidos na Ficha de Unidade Curricular, sejam identificadas como passíveis de ser lecionadas com recurso a ensino a distância, mantêm-se, até ao final do presente ano letivo, nesse regime.

        5. E se eu estiver impedido de ir às aulas vou chumbar por faltas? E não posso fazer os exames?

        5. E se eu estiver impedido de ir às aulas vou chumbar por faltas? E não posso fazer os exames?

        • Até ao final do ano letivo mantém-se a suspensão do regime de faltas a todas as unidades curriculares.
        • Aos alunos que, por impossibilidade ou objeção, não pretendam frequentar as aulas presenciais não é vedado o acesso às avaliações a realizar nos termos definidos na FUC em vigor.

        6. E como faço para ter acesso às matérias de estudo e aos conteúdos das aulas?

        6. E como faço para ter acesso às matérias de estudo e aos conteúdos das aulas?

        • Os docentes das unidades curriculares cujas aulas serão lecionadas, no todo ou em parte, em regime presencial, devem garantir que as suas aulas presenciais são transmitidas através da ferramenta ZOOM, para que às mesmas possam assistir os alunos que não puderam estar presentes fisicamente.
        • Os horários das unidades curriculares a ser lecionadas presencialmente, bem como o calendário de avaliações presenciais, serão reorganizados por cada Unidade Orgânica, obedecendo ao calendário definido. Na redefinição dos horários, quer para as aulas, quer para as avaliações presenciais, considera a dimensão de cada turma, assegurando que em sala, se obedece aos critérios e requisitos de segurança aqui definidos.

        7. Temos de ir à universidade fazer as avaliações?

        7. Temos de ir à universidade fazer as avaliações?

        Depende!

        • Existe a possibilidade de avaliação ser totalmente realizada recorrendo a métodos a distância, por compatibilidade dos métodos inicialmente previstos ou pela sua adaptação mantendo os objetivos e garantindo a manutenção dos critérios originalmente definidos na FUC;
        • Parte da avaliação pode decorrer por métodos de ensino a distância e complementada com atividade de avaliação presencial;
        • Ou a totalidade da avaliação depende de atividade de avaliação presencial.

        Para melhor entenderes estas modalidades e os critérios de avaliação aconselhamos a ler o PONTO 5 – Procedimentos Académicos e de Avaliação do plano de regresso às aulas

        8. Mas todas estas alterações garantem a lecionação das unidades curriculares?

        8. Mas todas estas alterações garantem a lecionação das unidades curriculares?

        Sim! É assegurada a lecionação da totalidade de horas letivas definidas para a unidade curricular, respeitando os objetivos de ensino-aprendizagem fixados, bem como a realização das avaliações às mesmas no cumprimento do definido nas FUC.

        9. Mantém-se em vigor os despachos publicados no início da pandemia que alteravam as condições de funcionamento da instituição?

        9. Mantém-se em vigor os despachos publicados no início da pandemia que alteravam as condições de funcionamento da instituição?

        Mantêm-se em vigor durante o presente ano letivo:

        • O Despacho n.º 7/2020, de 23 de março, regras relativas às alterações nas avaliações pela aplicação do ensino a distância determinado pela contenção à COVID-19, exceto no que refere o disposto no seu anexo 1 relativo à necessidade de assegurar um mínimo de 50% de avaliação final em provas presenciais, que deixa de vigorar.
        • O Despacho n.º 10/2020, de 18 de março, relativo à realização de provas públicas de defesa de mestrado e doutoramento por teleconferência.
        • O Despacho n.º 11/2020, de 23 de março, relativo ao adiamento de entrega de trabalhos finais de mestrado e da realização de estágios em qualquer ciclo de estudos, aplicável também a trabalhos de fim de curso
      • 1. Quando e como vamos regressar ao ISLA Santarém?

        1. Quando e como vamos regressar ao ISLA Santarém?

        • 4 de maio – Abertura de serviços. Proibido acesso de pessoas exteriores ao Instituto. Acesso condicionado a funcionários.
        • 18 de maio – Autorização de frequência das instalações – alunos e docentes. Regresso de atividades de investigação e autorização de reuniões de grupos inferiores a 5 pessoas.
        • 18 de maio – Regresso à atividade presencial para aulas práticas e laboratoriais para as seguintes situações:
          • a) Unidades curriculares de natureza prática ou laboratorial que em parte não foram lecionadas em regime de ensino a distância;
          • b) Unidades curriculares de 2.º ciclos de estudo de natureza tutorial;
          • c) Unidades de projeto cujos trabalhos decorram isoladamente ou em grupos de reduzida dimensão em laboratório.
          • Avaliação/discussão de trabalhos finais de curso, relatórios de estágio ou outros.
          • Exames finais, época de recurso e época especial.

        As situações previstas nas alíneas a), b e c) carecem de marcação e autorização prévia.

        Todas as unidades curriculares que não se enquadrem nestas tipologias continuarão a ser lecionadas até final do ano letivo em regime de ensino a distância.
        Mantém-se a suspensão de quaisquer outras atividades ou eventos académicos até ao final do ano letivo de 2019/2020.

        2. As aulas vão decorrer até quando?

        2. As aulas vão decorrer até quando?

        As atividades letivas encontram-se a decorrer cumprindo o calendário letivo definido não se justificando alterações ao mesmo.
        Assim o calendário académico do ano letivo de 2019/20, é o anteriormente definido, ou seja:

        Período de lecionação e avaliação contínua para as unidades curriculares Até 26 junho 2020
        Época de exames finais De 6 a 31 de julho de 2020
        Época de Exames recurso 1 a 25 de setembro de 2020
        Exames época especial 5 a 23 de outubro de 2020

        3. Que aulas voltam a ser presenciais?

        3. Que aulas voltam a ser presenciais?

        Apenas irão existir aulas práticas e laboratoriais para as seguintes situações:

        • As unidades curriculares que em parte exijam aulas/atividades presenciais, serão ministradas no regime presencial (ou misto, recorrendo a sessões síncronas), garantindo-se em regime presencial o cumprimento das normas de segurança definidas.
        • As sessões tutoriais, nomeadamente de 2.º ciclos de estudos e de acompanhamento de estágios ou trabalhos de finais de curso, dependendo da avaliação efetuada pelos responsáveis (Diretores do ciclo de estudos e orientadores), podem ser ministradas em regime presencial, garantindo-se o cumprimento das normas de segurança definidas.

        Todas as unidades curriculares que não se enquadrem nestas tipologias continuarão a ser lecionadas até final do ano letivo em regime de ensino a distância.

        4. Vamos deixar de ter aulas online (e-learning)?

        4. Vamos deixar de ter aulas online (e-learning)?

        Não! Todas as unidades curriculares que estão a decorrer em ensino à distância continuarão a ser lecionadas até final do ano letivo em regime de ensino a distância.

        5. E se eu estiver impedido de ir às aulas vou chumbar por faltas? E não posso fazer os exames?

        5. E se eu estiver impedido de ir às aulas vou chumbar por faltas? E não posso fazer os exames?

        • Até ao final do ano letivo mantém-se a suspensão do regime de faltas a todas as unidades curriculares.
        • Aos alunos que, por impossibilidade, não pretendam frequentar as aulas presenciais não é vedado o acesso às avaliações a realizar nos termos definidos na FUC em vigor.

        6. E como faço para ter acesso às matérias de estudo e aos conteúdos das aulas?

        6. E como faço para ter acesso às matérias de estudo e aos conteúdos das aulas?

        Os docentes das unidades curriculares cujas aulas serão lecionadas, em parte, em regime presencial, devem garantir que as suas aulas presenciais são transmitidas através da ferramenta Zoom, para que às mesmas possam assistir os alunos que não puderam estar presentes fisicamente.

        7. Temos de ir ao instituto fazer as avaliações?

        7. Temos de ir ao instituto fazer as avaliações?

        Depende!

        • Para a avaliação curricular mantêm-se as regras definidas por cada um dos docentes conforme constam das respetivas FUC sendo as mesmas realizadas totalmente recorrendo a métodos a distância;
        • Os exames finais (em julho) e as épocas de recurso (setembro) e especial (outubro), bem como as defesas de projetos de final de curso, relatórios de estágio e dissertações de mestrado serão presenciais.

        8. Mantém-se em vigor os despachos publicados no início da pandemia que alteravam as condições de funcionamento do instituto?

        8. Mantém-se em vigor os despachos publicados no início da pandemia que alteravam as condições de funcionamento do instituto?

        Mantêm-se em vigor durante o presente ano letivo:

        • O Despacho n.º 2/2020, de 27 de março, regras relativas às alterações nas avaliações pela aplicação do ensino a distância determinado pela contenção à COVID-19.
      • 1. Quando e como vamos regressar ao instituto?

        1. Quando e como vamos regressar ao instituto?

        • 4 de maio – abertura dos serviços.
        • 11 de maio – autorização de frequência do isdom – alunos e docentes. Regresso de atividades de investigação e autorização de reuniões de grupos inferiores a 5 pessoas.
        • 18 de maio – regresso à atividade presencial para aulas práticas e laboratoriais para as seguintes situações:
          • Unidades curriculares de natureza prática ou laboratorial que em parte não foram lecionadas em regime de ensino à distância;
          • Unidades de projeto cujos trabalhos decorram isoladamente ou em grupos de reduzida dimensão em laboratório ou sala de aula.

        2. As aulas vão decorrer até quando?

        2. As aulas vão decorrer até quando?

         A reorganização do calendário escolar prevê:

        • Período de lecionação e avaliação contínua para as unidades curriculares que estão a ser lecionadas em regime de ensino à distância: aulas até 10 julho 2020
        • Época de avaliação (frequências e exames 1ª época): 13 julho a 31 de julho, e de 1 a 14 de agosto 2020
        • Exames 2ª época: 1 a 30 setembro 2020

        3. Que aulas voltam a ser presenciais?

        3. Que aulas voltam a ser presenciais?

        Apenas irão iniciar as aulas práticas e laboratoriais para as seguintes situações:

        • As unidades curriculares que, pela sua característica e mantendo os objetivos definidos na ficha de unidade curricular, sejam identificadas como passíveis de ser lecionadas com recurso a ensino a distância, mantêm-se, até ao final do presente ano letivo, nesse regime.
        • As unidades curriculares que exijam aulas/atividades presenciais, no todo ou em parte, serão ministradas no regime presencial (ou misto, recorrendo a sessões síncronas), garantindo-se em regime presencial o cumprimento das normas de segurança definidas no presente documento.
        • As sessões tutoriais  de acompanhamento de estágios ou trabalhos de finais de curso, dependendo da avaliação efetuada pelos responsáveis (diretores do ciclo de estudos e orientadores), podem ser ministradas em regime presencial, garantindo-se o cumprimento das normas de segurança definidas no presente documento.

        Todas as unidades curriculares que não se enquadrem nestas tipologias continuarão a ser lecionadas até final do ano letivo em regime de ensino à distância.

        4. Vamos deixar de ter aulas online (e-learning)?

        4. Vamos deixar de ter aulas online (e-learning)?

        Não!  Todas as unidades curriculares que não se enquadrem nas tipologias abaixo continuarão a ser lecionadas até final do ano letivo em regime de ensino à distância.

        Serão apenas lecionadas em regime presencial:

        • As unidades curriculares que exijam aulas/atividades presenciais, no todo ou em parte, serão ministradas no regime presencial (ou misto, recorrendo a sessões síncronas), garantindo-se em regime presencial o cumprimento das normas de segurança definidas no presente documento.
        • As sessões tutoriais de acompanhamento de estágios ou trabalhos de finais de curso, dependendo da avaliação efetuada pelos responsáveis (diretores do ciclo de estudos e orientadores), podem ser ministradas em regime presencial, garantindo-se o cumprimento das normas de segurança definidas no presente documento.

        Ou seja:
        As unidades curriculares que, pela sua característica e mantendo os objetivos definidos na ficha de unidade curricular, sejam identificadas como passíveis de ser lecionadas com recurso a ensino à distância, mantêm-se, até ao final do presente ano letivo, nesse regime.

        5. E se eu estiver impedido de ir às aulas vou chumbar por faltas? E não posso fazer os exames?

        5. E se eu estiver impedido de ir às aulas vou chumbar por faltas? E não posso fazer os exames?

        • Até ao final do ano letivo mantém-se a suspensão do regime de faltas a todas as unidades curriculares.
        • Aos alunos que, por impossibilidade ou objeção, não pretendam frequentar as aulas presenciais não é vedado o acesso às avaliações a realizar nos termos definidos na fuc em vigor.

        6. E como faço para ter acesso às matérias de estudo e aos conteúdos das aulas?

        6. E como faço para ter acesso às matérias de estudo e aos conteúdos das aulas?

        • Os docentes das unidades curriculares cujas aulas serão lecionadas, no todo ou em parte, em regime presencial, devem garantir que as suas aulas presenciais são transmitidas através da ferramenta teams, para que às mesmas possam assistir os alunos que não puderam estar presentes fisicamente.
        • Os horários das unidades curriculares a ser lecionadas presencialmente, bem como o calendário de avaliações presenciais, serão reorganizados obedecendo ao calendário definido no presente documento. Na redefinição dos horários, quer para as aulas, quer para as avaliações presenciais, considerou-se a dimensão de cada turma, assegurando que em sala, se obedece aos critérios e requisitos de segurança aqui definidos.

        7. Temos de ir ao ISDOM fazer as avaliações?

        7. Temos de ir ao ISDOM fazer as avaliações?

        As avaliações de 1ª época de exames e 2ª época serão presenciais.

        8. Mas todas estas alterações garantem a lecionação das unidades curriculares?

        8. Mas todas estas alterações garantem a lecionação das unidades curriculares?

        Sim! É assegurada a lecionação da totalidade de horas letivas definidas para a unidade curricular, respeitando os objetivos de ensino-aprendizagem fixados, bem como a realização das avaliações às mesmas no cumprimento do definido nas fuc.

        9. Mantém-se em vigor os despachos publicados no início da pandemia que alteravam as condições de funcionamento do isdom?

        9. Mantém-se em vigor os despachos publicados no início da pandemia que alteravam as condições de funcionamento do isdom?

        Sim mantém-se o despacho conjunto 01/2020 relativo às provas espacialmente adquadas a avaliar a capacidade para a frequência do ensino superior de candidatos maiores de 23 anos.

      • 1. Quando e como vamos regressar à universidade / instituto?

        1. Quando e como vamos regressar à universidade / instituto?

        • 4 de maio – Abertura serviços no Campus. Proibido acesso de pessoas exteriores à Universidade. Acesso condicionado a funcionários.
        • 11 de maio – Autorização de frequência do Campus – alunos e docentes. Regresso de atividades de investigação e autorização de reuniões de grupos inferiores a 5 pessoas.
        • 18 de maio – Regresso à atividade presencial para aulas práticas e laboratoriais para as seguintes situações:
          • Unidades curriculares de natureza prática ou laboratorial que no todo ou em parte não foram lecionadas em regime de ensino a distância;
          • Unidades curriculares de 2.º e 3.º ciclos de estudo de natureza tutorial;
          • Unidades de projeto cujos trabalhos decorram isoladamente ou em grupos de reduzida dimensão em laboratório.

        2. As aulas vão decorrer até quando?

        2. As aulas vão decorrer até quando?

        A reorganização do calendário escolar prevê:

        • Período de lecionação e avaliação contínua para as unidades curriculares que estão a ser integralmente lecionadas em regime de ensino a distância: Aulas até 12 junho 2020 
          Poderão  existir diferenças de calendarização entre cursos.
        • Época de Exames do 2º semestre – 1ª Época: 16 a 26 junho 2020
          Poderão haver calendários diferenciados por curso.
        • Época de Exames do 2º semestre – 2ª Época – recurso: 30 de julho a 24 julho 2020
          Poderão haver calendários diferenciados por curso.
        • Exames época especial: 1 a 25 setembro 2020
          Poderão haver calendários diferenciados por curso.
        • Extensão de calendário para apresentação e defesa de teses, projetos finais de curso e relatórios finais de estágio 2019/20 (dependendo do reinicio e final dos estágios): Até 28 de fevereiro 2021

        3. Que aulas voltam a ser presenciais?

        3. Que aulas voltam a ser presenciais?

        Apenas irão iniciar as aulas práticas e laboratoriais para as seguintes situações:

        • As unidades curriculares que, pela sua característica e mantendo os objetivos definidos na Ficha de Unidade Curricular, sejam identificadas como passíveis de ser lecionadas com recurso a ensino a distância, mantêm-se, até ao final do presente ano letivo, nesse regime.
        • As unidades curriculares que exijam aulas/atividades presenciais, no todo ou em parte, serão ministradas no regime presencial (ou misto, recorrendo a sessões síncronas), garantindo-se em regime presencial o cumprimento das normas de segurança definidas no presente documento.
        • As sessões tutoriais, nomeadamente de 2.º ciclos de estudos e de acompanhamento de estágios ou trabalhos de finais de curso, dependendo da avaliação efetuada pelos responsáveis (Diretores do ciclo de estudos e orientadores), podem ser ministradas em regime presencial, garantindo-se o cumprimento das normas de segurança definidas no presente documento.

        As unidades curriculares que não se enquadrem nestas tipologias continuarão a ser lecionadas até final do ano letivo em regime de ensino a distância.

        4. Vamos deixar de ter aulas online (e-learning)?

        4. Vamos deixar de ter aulas online (e-learning)?

        Não! Todas as unidades curriculares que não se enquadrem nas tipologias abaixo continuarão a ser lecionadas até final do ano letivo em regime de ensino a distância.

        Serão apenas lecionadas em regime presencial:

        • As unidades curriculares que exijam aulas/atividades presenciais, no todo ou em parte, serão ministradas no regime presencial (ou misto, recorrendo a sessões síncronas), garantindo-se em regime presencial o cumprimento das normas de segurança definidas no presente documento.
        • As sessões tutoriais, nomeadamente de 2.º ciclos de estudos e de acompanhamento de estágios ou trabalhos de finais de curso, dependendo da avaliação efetuada pelos responsáveis (Diretores do ciclo de estudos e orientadores), podem ser ministradas em regime presencial, garantindo-se o cumprimento das normas de segurança definidas no presente documento.

        Ou seja:

        As unidades curriculares que, pela sua característica e mantendo os objetivos definidos na Ficha de Unidade Curricular, sejam identificadas como passíveis de ser lecionadas com recurso a ensino a distância, mantêm-se, até ao final do presente ano letivo, nesse regime.

        5. E se eu estiver impedido de ir às aulas vou chumbar por faltas? E não posso fazer os exames?

        5. E se eu estiver impedido de ir às aulas vou chumbar por faltas? E não posso fazer os exames?

        • Até ao final do ano letivo mantém-se a suspensão do regime de faltas a todas as unidades curriculares.
        • Aos alunos que, por impossibilidade ou objeção, não pretendam frequentar as aulas presenciais não é vedado o acesso às avaliações a realizar nos termos definidos na FUC em vigor.

        6. E como faço para ter acesso às matérias de estudo e aos conteúdos das aulas?

        6. E como faço para ter acesso às matérias de estudo e aos conteúdos das aulas?

        • Os docentes das unidades curriculares cujas aulas serão lecionadas, no todo ou em parte, em regime presencial, devem garantir que as suas aulas presenciais são transmitidas através da ferramenta Colibri, para que às mesmas possam assistir os alunos que não puderam estar presentes fisicamente.
        • Os horários das unidades curriculares a ser lecionadas presencialmente, bem como o calendário de avaliações presenciais, serão reorganizados por cada Unidade Orgânica, obedecendo ao calendário definido no presente documento. Na redefinição dos horários, quer para as aulas, quer para as avaliações presenciais, considera a dimensão de cada turma, assegurando que em sala, se obedece aos critérios e requisitos de segurança aqui definidos.

        7. Temos de ir à universidade fazer as avaliações?

        7. Temos de ir à universidade fazer as avaliações?

        Depende!

        • Existe a possibilidade de avaliação ser totalmente realizada recorrendo a métodos a distância, por compatibilidade dos métodos inicialmente previstos ou pela sua adaptação mantendo os objetivos e garantindo a manutenção dos critérios originalmente definidos na FUC;
        • Parte da avaliação pode decorrer por métodos de ensino a distância e complementada com atividade de avaliação presencial;
        • Ou a totalidade da avaliação depende de atividade de avaliação presencial.

        Para melhor entenderes estas modalidades e os critérios de avaliação aconselhamos a ler o PONTO 5 – Procedimentos Académicos e de Avaliação do plano de regresso às aulas

        8. Mas todas estas alterações garantem a lecionação das unidades curriculares?

        8. Mas todas estas alterações garantem a lecionação das unidades curriculares?

        Sim! É assegurada a lecionação da totalidade de horas letivas definidas para a unidade curricular, respeitando os objetivos de ensino-aprendizagem fixados, bem como a realização das avaliações às mesmas no cumprimento do definido nas PUC. A ESEAG fará o que estiver ao seu alcance para que os alunos regressem aos estágios nas instituições cooperantes, logo que estas voltem a aceitar estagiários.

        9. Mantém-se em vigor os despachos publicados no início da pandemia que alteravam as condições de funcionamento da universidade?

        9. Mantém-se em vigor os despachos publicados no início da pandemia que alteravam as condições de funcionamento da universidade?

        Mantêm-se em vigor durante o presente ano letivo:

        • O Despacho n.º 01/2020, de 23 de março, regras relativas às alterações nas avaliações pela aplicação do ensino a distância determinado pela contenção à COVID-19, exceto no que refere o disposto no seu anexo 1 relativo à necessidade de assegurar um mínimo de 50% de avaliação final em provas presenciais, que deixa de vigorar.
        • O Despacho n.º 02/2020, de 23 de março, relativo a reorganização do calendário escolar – 2º semestre do ano letivo 2019/20.
        • O Despacho n.º 03/2020, de 23 de março, relativo ao adiamento de entrega de relatórios finais de estágio e de conclusão de estágios em qualquer ciclo de estudos.
      • 1. Como é que a universidade garante a segurança nas salas de aula?

        1. Como é que a universidade garante a segurança nas salas de aula?

        • A Universidade procedeu à redução da capacidade de todas salas de aula de forma a garantir as distâncias mínimas recomendadas pelas DGS. Todos os alunos e professores devem respeitar escrupulosamente as distâncias definidas. Todas as salas foram munidas no seu interior ou nos acessos com gel desinfetante para os alunos/professores poderem utilizar;
        • Todos os alunos e professores devem desinfetar as mãos antes e depois de saírem de qualquer espaço;
        • Devem ser mantidas, sempre que possível, as janelas das salas para o exterior abertas.

        2. Como é que a universidade garante a segurança nos laboratórios?

        2. Como é que a universidade garante a segurança nos laboratórios?

        Laboratórios de informática

        • A Universidade procedeu à redução da capacidade dos laboratórios passando a uma ocupação de 1 aluno por máquina.
        • Os teclados estão envoltos numa manga plástica para mais fácil desinfeção e que nunca deve ser removida pelo utilizador.

        Laboratórios específicos

        • É obrigatório o uso de EPI (luvas de proteção, máscara descartável e óculos de proteção) por todos os técnicos de laboratório.
        • Em laboratórios que disponham de equipamentos manuseados por diversos alunos, caso de audiovisuais e similares, pela dificuldade de desinfetar os mesmos, é obrigatório o uso de luvas de proteção que devem ser depositadas nas zonas de “sujos” assinaladas.

        3. Como é que a universidade desinfeta as instalações?

        3. Como é que a universidade desinfeta as instalações?

        • É garantida a desinfeção regular de puxadores de portas, interruptores de iluminação, comandos dos projetores e ar-condicionado, tampos de mesas e cadeiras;
        • É garantida a desinfeção regular de corrimãos e guardas metálicas interiores e exteriores;
        • Foram instalados em locais estratégicos (hall’s e corredores) doseadores de gel desinfetante que podem e devem ser utilizados copiosamente. Num esforço colaborativo interno, a Universidade está a assegurar a produção do seu próprio gel desinfetante em laboratórios próprios;
        • A limpeza das instalações sanitárias é assegurada pela Unidade de Limpeza da Universidade com a frequência recomendada e cumprindo as normas de higienização aplicáveis;
        • Os aparelhos de ar condicionando não devem ser acionados, sendo a circulação de ar nos espaços fechados garantida através da abertura de janelas.
      • 1. Como é que o instituto garante a segurança nas salas de aula?

        1. Como é que o instituto garante a segurança nas salas de aula?

        • O Instituto procedeu à redução da capacidade de todas salas de aula de forma a garantir as distâncias mínimas recomendadas pelas DGS. Todos os alunos e professores devem respeitar escrupulosamente as distâncias definidas. Todas as salas foram munidas no seu interior ou nos acessos com gel desinfetante para os alunos/professores poderem utilizar;
        • Todos os alunos e professores devem desinfetar as mãos antes e depois de saírem de qualquer espaço;
        • Devem ser mantidas, sempre que possível, as janelas das salas para o exterior abertas.

        2. Como é que o instituto desinfeta as instalações?

        2. Como é que o instituto desinfeta as instalações?

        • É garantida a desinfeção regular de puxadores de portas, interruptores de iluminação, comandos dos projetores e ar-condicionado, tampos de mesas e cadeiras;
        • É garantida a desinfeção regular de corrimãos e guardas metálicas interiores e exteriores;
        • Foram instalados em locais estratégicos (hall’s e corredores) doseadores de gel desinfetante que podem e devem ser utilizados copiosamente. Num esforço colaborativo interno, o Instituto está a assegurar a produção do seu próprio gel desinfetante em laboratórios próprios;
        • A limpeza das instalações sanitárias é assegurada pela Unidade de Limpeza do Instituto com a frequência recomendada e cumprindo as normas de higienização aplicáveis;
        • Os aparelhos de ar condicionando não devem ser acionados, sendo a circulação de ar nos espaços fechados garantida através da abertura de janelas.
      • 1. Como é que o Instituto garante a segurança nas salas de aula?

        1. Como é que o Instituto garante a segurança nas salas de aula?

        • O Instituto procedeu à redução da capacidade de todas salas de aula, de forma a garantir as distâncias mínimas recomendadas pelas DGS. Todos os estudantes e docentes devem respeitar escrupulosamente as distâncias definidas. Todas as salas foram munidas no seu interior ou nos acessos com gel desinfetante para os estudantes / docentes poderem utilizar;
        • Todos os estudantes e docentes devem desinfetar as mãos antes e depois de saírem de qualquer espaço;
        • Devem ser mantidas, sempre que possível, as janelas das salas para o exterior abertas.

        2. Como é que o Instituto garante a segurança nos laboratórios?

        2. Como é que o Instituto garante a segurança nos laboratórios?

        Laboratórios de informática

        • O Instituto procedeu à redução da capacidade dos laboratórios passando a uma ocupação de 1 aluno por máquina.
        • Os teclados estão envoltos numa manga plástica para mais fácil desinfeção e que nunca deve ser removida pelo utilizador.

        Laboratórios específicos

        • É obrigatório o uso de EPI (luvas de proteção, máscara descartável e óculos de proteção) por todos os técnicos de laboratório.
        • Em laboratórios que disponham de equipamentos manuseados por diversos alunos, caso de audiovisuais e similares, pela dificuldade de desinfetar os mesmos, é obrigatório o uso de luvas de proteção que devem ser depositadas nas zonas de “sujos” assinaladas.

        3. Como é que o Instituto desinfeta as instalações?

        3. Como é que o Instituto desinfeta as instalações?

        • É garantida a desinfeção regular de puxadores de portas, interruptores de iluminação, comandos dos projetores, tampos de mesas e cadeiras;
        • É garantida a desinfeção regular de corrimões e guardas metálicas interiores e exteriores;
        • Foram instalados em locais estratégicos (hall’s e corredores) doseadores de gel desinfetante, que podem e devem ser utilizados copiosamente. Num esforço colaborativo interno, o grupo Lusófona está a assegurar a produção do seu próprio gel desinfetante em laboratórios próprios;
        • A limpeza das instalações sanitárias é assegurada pelo pessoal do Instituto, com a frequência recomendada e cumprindo as normas de higienização aplicáveis;
        • A circulação de ar nos espaços fechados deve ser garantida através da abertura de janelas.
      • 1. Como é que a instituição garante a segurança nas salas de aula?

        1. Como é que a instituição garante a segurança nas salas de aula?

        • A Universidade procedeu à redução da capacidade de todas salas de aula de forma a garantir as distâncias mínimas recomendadas pelas DGS. Todos os alunos e professores devem respeitar escrupulosamente as distâncias definidas. Todas as salas foram munidas no seu interior ou nos acessos com gel desinfetante para os alunos/professores poderem utilizar;
        • Todos os alunos e professores devem desinfetar as mãos antes e depois de saírem de qualquer espaço;
        • Devem ser mantidas, sempre que possível, as janelas das salas para o exterior abertas.

        2. Como é que a instituição garante a segurança nos laboratórios?

        2. Como é que a instituição garante a segurança nos laboratórios?

        Laboratórios de informática

        • A instituição procedeu à redução da capacidade dos laboratórios passando a uma ocupação de 1 aluno por máquina.
        • Os teclados estão envoltos numa manga plástica para mais fácil desinfeção e que nunca deve ser removida pelo utilizador.

        Laboratórios específicos

        • É obrigatório o uso de EPI (luvas de proteção, máscara descartável e óculos de proteção) por todos os técnicos de laboratório.
        • o Em laboratórios que disponham de equipamentos manuseados por diversos estudantes, pela dificuldade de desinfetar os mesmos, é obrigatório o uso de luvas de proteção que, após o seu uso, devem ser depositadas nas zonas de “sujos” assinaladas.

        3. Como é que a instituição desinfeta as instalações?

        3. Como é que a instituição desinfeta as instalações?

        • É garantida a desinfeção regular de puxadores de portas, interruptores de iluminação, comandos dos projetores e ar-condicionado, tampos de mesas e cadeiras;
        • É garantida a desinfeção regular de corrimãos e guardas metálicas interiores e exteriores;
        • Foram instalados em locais estratégicos (hall’s e corredores) doseadores de gel desinfetante que podem e devem ser utilizados copiosamente.
        • A limpeza das instalações sanitárias é assegurada pela Unidade de Limpeza da Instituição com a frequência recomendada e cumprindo as normas de higienização aplicáveis;
        • Os aparelhos de ar condicionando não devem ser acionados, sendo a circulação de ar nos espaços fechados garantida através da abertura de janelas.
      • 1. Como é que o instituto garante a segurança nas salas de aula?

        1. Como é que o instituto garante a segurança nas salas de aula?

        • O ISLA Santarém procedeu à redução da capacidade de todas salas de aula de forma a garantir as distâncias mínimas recomendadas pelas DGS. Todos os alunos e professores devem respeitar escrupulosamente as distâncias definidas. Todas as salas foram munidas no seu interior ou nos acessos com gel desinfetante para os alunos/professores poderem utilizar;
        • Todos os alunos e professores devem desinfetar as mãos antes e depois de saírem de qualquer espaço;
        • Devem ser mantidas, sempre que possível, as janelas das salas para o exterior abertas.

        2. Como é que o instituto garante a segurança nos laboratórios?

        2. Como é que o instituto garante a segurança nos laboratórios?

        Laboratórios de informática

        • O ISLA Santarém procedeu à redução da capacidade dos laboratórios passando a uma ocupação de 1 aluno por máquina.
        • Os teclados estão envoltos numa pelicula plástica para mais fácil desinfeção e que nunca deve ser removida pelo utilizador.

        Laboratórios específicos

        • Em laboratórios que disponham de equipamentos manuseados por diversos alunos, caso de audiovisuais e similares, pela dificuldade de desinfetar os mesmos, é obrigatório o uso de luvas de proteção que devem ser depositadas nas zonas de “sujos” assinaladas.

        3. Como é que o instituto desinfeta as instalações?

        3. Como é que o instituto desinfeta as instalações?

        • É garantida a desinfeção regular de puxadores de portas, interruptores de iluminação, comandos dos projetores e ar-condicionado, tampos de mesas e cadeiras;
        • É garantida a desinfeção regular de corrimãos e guardas metálicas interiores e exteriores;
        • Foram instalados em locais estratégicos (hall’s e corredores) doseadores de gel desinfetante que podem e devem ser utilizados copiosamente. Num esforço colaborativo interno, a Universidade está a assegurar a produção do seu próprio gel desinfetante em laboratórios próprios;
        • A limpeza das instalações sanitárias é assegurada com a frequência recomendada e cumprindo as normas de higienização aplicáveis;
        • Os aparelhos de ar condicionando não devem ser acionados, sendo a circulação de ar nos espaços fechados garantida através da abertura de janelas.
      • 1. Como é que o ISDOM garante a segurança nas salas de aula?

        1. Como é que o ISDOM garante a segurança nas salas de aula?

        • O ISDOM procedeu à redução da capacidade de todas salas de aula de forma a garantir as distâncias mínimas recomendadas pelas DGS. Todos os alunos e professores devem respeitar escrupulosamente as distâncias definidas. Os espaços foram munidas  nos acessos com gel desinfetante para os alunos/professores poderem utilizar;
        • Todos os alunos e professores devem desinfetar as mãos antes e depois de saírem de qualquer espaço;
        • Devem ser mantidas, sempre que possível, as janelas das salas para o exterior abertas.

        2. Como é que o ISDOM garante a segurança nos laboratórios?

        2. Como é que o ISDOM garante a segurança nos laboratórios?

        Laboratórios de informática

        • O ISDOM procedeu à redução da capacidade dos laboratórios passando a uma ocupação de 1 aluno por máquina.
        • Os teclados são desinfetados após cada utilização;

        Laboratórios específicos

        • É obrigatório o uso de EPI (luvas de proteção, máscara descartável e viseira de proteção) por todos os técnicos de laboratório.
        • Em laboratórios que disponham de equipamentos manuseados por diversos alunos, caso de audiovisuais e similares, pela dificuldade de desinfetar os mesmos, é obrigatório o uso de luvas de proteção que devem ser depositadas nas zonas de “sujos” assinaladas.

        3. Como é que o ISDOM desinfeta as instalações?

        3. Como é que o ISDOM desinfeta as instalações?

        • É garantida a desinfeção regular de puxadores de portas, interruptores de iluminação, comandos dos projetores e ar-condicionado, tampos de mesas e cadeiras;
        • É garantida a desinfeção regular de corrimãos e guardas metálicas interiores e exteriores;
        • Foram instalados em locais estratégicos (hall’s e corredores) doseadores de gel desinfetante que podem e devem ser utilizados copiosamente.
        • A limpeza das instalações sanitárias é assegurada pela Unidade de Limpeza com a frequência recomendada e cumprindo as normas de higienização aplicáveis;
        • Os aparelhos de ar condicionando não devem ser acionados, sendo a circulação de ar nos espaços fechados garantida através da abertura de janelas.
      • 1. Como é que a universidade garante a segurança nas salas de aula?

        1. Como é que a universidade garante a segurança nas salas de aula?

        • Procedeu-se à redução da capacidade de todas salas de aula de forma a garantir as distâncias mínimas recomendadas pelas DGS. Todos os alunos e professores devem respeitar escrupulosamente as distâncias definidas. Todas as salas foram munidas no seu interior ou nos acessos com gel desinfetante para os alunos/professores poderem utilizar;
        • Todos os alunos e professores devem desinfetar as mãos antes e depois de saírem de qualquer espaço;
        • Devem ser mantidas, sempre que possível, as janelas das salas para o exterior abertas.

        2. Como é que a universidade garante a segurança nos laboratórios?

        2. Como é que a universidade garante a segurança nos laboratórios?

        Laboratórios de informática

        • A Universidade procedeu à redução da capacidade dos laboratórios passando a uma ocupação de 1 aluno por máquina.
        • Os teclados estão envoltos numa manga plástica para mais fácil desinfeção e que nunca deve ser removida pelo utilizador.

        Laboratórios específicos

        • É obrigatório o uso de EPI (luvas de proteção, máscara descartável e óculos de proteção) por todos os técnicos de laboratório.
        • Em laboratórios que disponham de equipamentos manuseados por diversos alunos, caso de audiovisuais e similares, pela dificuldade de desinfetar os mesmos, é obrigatório o uso de luvas de proteção que devem ser depositadas nas zonas de “sujos” assinaladas.

        3. Como é que a universidade desinfeta as instalações?

        3. Como é que a universidade desinfeta as instalações?

        • É garantida a desinfeção regular de puxadores de portas, interruptores de iluminação, comandos dos projetores e ar-condicionado, tampos de mesas e cadeiras;
        • É garantida a desinfeção regular de corrimãos e guardas metálicas interiores e exteriores;
        • Foram instalados em locais estratégicos (hall’s e corredores) doseadores de gel desinfetante que podem e devem ser utilizados copiosamente. Num esforço colaborativo interno, a Universidade está a assegurar a produção do seu próprio gel desinfetante em laboratórios próprios;
        • A limpeza das instalações sanitárias é assegurada pela Unidade de Limpeza da Universidade com a frequência recomendada e cumprindo as normas de higienização aplicáveis;
        • Os aparelhos de ar condicionando não devem ser acionados, sendo a circulação de ar nos espaços fechados garantida através da abertura de janelas.
      • 1. Os bares da universidade vão abrir?

        1. Os bares da universidade vão abrir?

        Espaços de refeição “marmita”

        • O acesso aos bares e espaços de aquecimento de comida deve ser condicionado, nomeadamente em ordem a limitar a 3 o número de pessoas dentro do espaço. Este acesso está limitado a:
        • no caso dos bares, a aquisição de bens alimentares;
        • no caso da marmita, a preparação de refeições.
        • O consumo dos bens alimentares deve ser feito no exterior destes espaços mantendo o distanciamento social.

        Bares

        • O acesso aos bares e espaços de aquecimento de comida deve ser condicionado, nomeadamente em ordem a limitar a 3 o número de pessoas dentro do espaço. Este acesso está limitado a:
        • no caso dos bares, a aquisição de bens alimentares;
        • no caso da marmita, a preparação de refeições.
        • O consumo dos bens alimentares deve ser feito no exterior destes espaços mantendo o distanciamento social. Foi reduzido o número de lugares sentados nos bares a um por mesa, e aumentou-se o espaçamento entre as mesas.

        2. Os serviços académicos, tesouraria, Satas e Sase vão abrir?

        2. Os serviços académicos, tesouraria, Satas e Sase vão abrir?

        O acesso aos espaços dos serviços administrativo e académicos também deve ser feito num único sentido, a saber:

        • SUC | Serviços Universitários Centrais – A entrada faz-se pela porta da tesouraria e a saída pela porta que dá para o jardim (saída da universidade);
        • PUI | Ponto Único de Informação – A entrada faz-se pela porta da esquerda e a saída pela porta da direita;
        • No espaço dos Serviços (Serviço de Ação Social Educativa, Gabinete de Admissão e Apoio ao Estudante e Serviços Universitários Centrais) – o n.º de pessoas é limitado, garantindo a existência de condições para a prestação de um serviço com o respeito à distância de segurança;
        • SATAS e SUC- devem atender em simultâneo um nº limitado de pessoas, de acordo com os m2 do espaço existente;
        • Na entrada dos serviços, foi colocada sinalética na porta e no chão indicando o distanciamento mínimo (2metros), devendo a espera pelo atendimento ser feita no exterior;
        • Na entrada dos serviços foram colocados dispensadores de desinfetante (álcool gel) e, nos casos em que o espaço de atendimento o permite, foram colocados acrílicos de proteção e limitadores do espaço;
        • No PUI foram criadas duas áreas: uma para levantamento de chaves e equipamentos e outra para a sua entrega para que, desta forma, as chaves e equipamentos possam ser desinfetados entre utilizações.

        3. A biblioteca da universidade vai abrir?

        3. A biblioteca da universidade vai abrir?

        Ir estudar para a biblioteca não! Mas requisitar e devolver livros sim!

        • Os serviços da biblioteca apenas irão funcionar para o empréstimo domiciliário e devolução de livros;
        • Os serviços da biblioteca irão funcionar de 2.ª a 6.ª feira das 10.00h às 22.30h;
        • A reserva e pedido de livros deverá ser realizada por email e os mesmos só podem ser levantados após a receção da confirmação pela biblioteca da data de disponibilização dos mesmos;
        • A devolução dos mesmos deve realizar-se dentro das datas previstas pela biblioteca;
        • Todos os que se dirigirem à biblioteca devem cumprir as regras de distanciamento e de higienização, tais como o uso de máscara, desinfeção das mãos na entrada e cumprimento das regras de etiqueta respiratória;
        • Os livros, sempre que sejam devolvidos, deverão repousar numa estante do backoffice, que lhes será dedicada, durante um período de 2 dias, tendo em conta que, segundo os estudos sobre o assunto difundidos pelo SNS, o vírus pode permanecer nos objetos durante aproximadamente 7-9 horas, dependendo das condições climáticas;
        • Nos serviços de atendimento devem privilegiar-se os contatos/esclarecimentos via email ou telefone e, caso tal não seja possível, mediante análise de cada pedido, o atendimento presencial pode ser efetuado sendo assegurada distância com marcação de zoneamento (fita autocolante) e utilização obrigatória de equipamento de proteção pelos funcionários;
        • Foram colocados painéis em acrílico transparente em frente aos postos de atendimento para assegurar a proteção de funcionários e alunos.

        4. Quando abrem as reprografias?

        4. Quando abrem as reprografias?

        A Reprografia Universitária Lusófona, no Campo Grande, já se encontra aberta e a prestar serviços ao estudantes e docentes

        5. Posso estacionar na universidade?

        5. Posso estacionar na universidade?

        Até 30 junho de 2020 a Universidade Lusófona de Lisboa e Porto irão garantir estacionamento para todos os estudantes que se apresentem para aulas no campus no seu veículo particular (aplicável para o período da respetiva aula).

        Para garantir que tem direito a estacionamento gratuito o estudante tem de se registar, para ter acesso a parqueamento neste período, através do formulário disponível, até 28 de maio de 2020

        Consulte as condições e faça o registo:

        Universidade Lusófona / IPLUSO Universidade Lusófona do Porto

      • 1. Os bares do campus vão abrir?

        1. Os bares do campus vão abrir?

        Espaços de refeição “marmita”

        • O acesso aos bares e espaços de aquecimento de comida deve ser condicionado, nomeadamente em ordem a limitar a 3 o número de pessoas dentro do espaço. Este acesso está limitado a:
        • no caso dos bares, a aquisição de bens alimentares;
        • no caso da marmita, a preparação de refeições.
        • O consumo dos bens alimentares deve ser feito no exterior destes espaços mantendo o distanciamento social.

        Bares

        • O acesso aos bares e espaços de aquecimento de comida deve ser condicionado, nomeadamente em ordem a limitar a 3 o número de pessoas dentro do espaço. Este acesso está limitado a:
        • no caso dos bares, a aquisição de bens alimentares;
        • no caso da marmita, a preparação de refeições.
        • O consumo dos bens alimentares deve ser feito no exterior destes espaços mantendo o distanciamento social. Foi reduzido o número de lugares sentados nos bares a um por mesa, e aumentou-se o espaçamento entre as mesas.

        2. Os serviços académicos, tesouraria e sase vão abrir?

        2. Os serviços académicos, tesouraria e sase vão abrir?

        O acesso aos espaços dos serviços administrativo e académicos também deve ser feito num único sentido, a saber:

        • Tesouraria – A entrada faz-se pela porta da tesouraria e a saída pela porta que dá para o jardim (saída do Campus);
        • PUI | Ponto Único de Informação – A entrada faz-se pela porta da esquerda e a saída pela porta da direita;
        • Serviço de Ação Social Educativa – o n.º de pessoas é limitado, garantindo a existência de condições para a prestação de um serviço com o respeito à distância de segurança;
        • Serviços Académicos – devem atender em simultâneo um nº limitado de pessoas, de acordo com os m2 do espaço existente;
        • SAP devem atender em simultâneo um nº limitado de pessoas, de acordo com os m2 do espaço existente;
        • Na entrada dos serviços, foi colocada sinalética na porta e no chão indicando o distanciamento mínimo (2 metros), devendo a espera pelo atendimento ser feita no exterior;
        • Na entrada dos serviços foram colocados dispensadores de desinfetante (álcool gel) e, nos casos em que o espaço de atendimento o permite, foram colocados acrílicos de proteção e limitadores do espaço;
        • No PUI foram criadas duas áreas: uma para levantamento de chaves e equipamentos e outra para a sua entrega para que, desta forma, as chaves e equipamentos possam ser desinfetados entre utilizações.

        3. A biblioteca Vitor de Sá vai abrir?

        3. A biblioteca Vitor de Sá vai abrir?

        Ir estudar para a biblioteca não! Mas requisitar e devolver livros sim!

        • Os serviços da biblioteca apenas irão funcionar para o empréstimo domiciliário e devolução de livros;
        • Os serviços da biblioteca irão funcionar de 2.ª a 6.ª feira das 10.00h às 22.30h;
        • A reserva e pedido de livros deverá ser realizada por email e os mesmos só podem ser levantados após a receção da confirmação pela biblioteca da data de disponibilização dos mesmos;
        • A devolução dos mesmos deve realizar-se dentro das datas previstas pela biblioteca;
        • Todos os que se dirigirem à biblioteca devem cumprir as regras de distanciamento e de higienização, tais como o uso de máscara, desinfeção das mãos na entrada e cumprimento das regras de etiqueta respiratória;
        • Os livros, sempre que sejam devolvidos, deverão repousar numa estante do backoffice, que lhes será dedicada, durante um período de 2 dias, tendo em conta que, segundo os estudos sobre o assunto difundidos pelo SNS, o vírus pode permanecer nos objetos durante aproximadamente 7-9 horas, dependendo das condições climáticas;
        • Nos serviços de atendimento devem privilegiar-se os contatos/esclarecimentos via email ou telefone e, caso tal não seja possível, mediante análise de cada pedido, o atendimento presencial pode ser efetuado sendo assegurada distância com marcação de zoneamento (fita autocolante) e utilização obrigatória de equipamento de proteção pelos funcionários;
        • Foram colocados painéis em acrílico transparente em frente aos postos de atendimento para assegurar a proteção de funcionários e alunos.
      • 1. O bar do Instituto vai abrir?

        1. O bar do Instituto vai abrir?

        • O acesso ao bar deve ser condicionado, nomeadamente em ordem a limitar a 3 o número de pessoas dentro do espaço. Este acesso está limitado a aquisição de bens alimentares;
        • O consumo dos bens alimentares deve ser feito no exterior deste espaço, mantendo o distanciamento social.

        2. Os serviços académicos e a reprografia vão abrir?

        2. Os serviços académicos e a reprografia vão abrir?

        • O número de pessoas é limitado, garantindo a existência de condições para a prestação de um serviço com o respeito à distância de segurança;
        • Os Serviços devem atender em simultâneo um número limitado de pessoas, de acordo com os m2 do espaço existente;
        • Na entrada dos serviços, foi colocada sinalética na porta e no chão, indicando o distanciamento mínimo (2metros), devendo a espera pelo atendimento ser feita no exterior;
        • Na entrada dos serviços foram colocados dispensadores de desinfetante (álcool gel) e, nos casos em que o espaço de atendimento o permite, foram colocados acrílicos de proteção e limitadores do espaço;

        3. A biblioteca do Instituto vai abrir?

        3. A biblioteca do Instituto vai abrir?

        Ir estudar para a biblioteca não! Mas requisitar e devolver livros sim!

        • Os serviços da biblioteca apenas irão funcionar para o empréstimo domiciliário e devolução de livros;
        • Os serviços da biblioteca irão funcionar de 2.ª a 6.ª feira das 10.00h às 22.00h;
        • A reserva e pedido de livros deverá ser realizada por email e os mesmos só podem ser levantados após a receção da confirmação pela biblioteca da data de disponibilização dos mesmos;
        • A devolução dos mesmos deve realizar-se dentro das datas previstas pela biblioteca;
        • Todos os que se dirigirem à biblioteca devem cumprir as regras de distanciamento e de higienização, tais como o uso de máscara, desinfeção das mãos na entrada e cumprimento das regras de etiqueta respiratória;
        • Os livros, sempre que sejam devolvidos, deverão repousar numa estante do backoffice, que lhes será dedicada, durante um período de 2 dias, tendo em conta que, segundo os estudos sobre o assunto difundidos pelo SNS, o vírus pode permanecer nos objetos durante aproximadamente 7-9 horas, dependendo das condições climáticas;
      • 1. Bar / Espaço de refeição “marmita”

        1. Bar / Espaço de refeição “marmita”

        O acesso a estes espaços de ser condicionado, nomeadamente em ordem a limitar a 3 o número de pessoas dentro do espaço. Este acesso está limitado a:

        • Aquisição de bens alimentares;
        • O consumo dos bens alimentares deve ser feito no exterior destes espaços mantendo o distanciamento social.

        Foi reduzido o número de lugares sentados no bar a um por mesa, e aumentou-se o espaçamento entre as mesas.

        2. Os serviços académicos vão abrir?

        2. Os serviços académicos vão abrir?

        • O acesso aos espaços dos serviços académicos e administrativos deverá ser feito sempre pelo lado direito, de acordo com a sinalética presente.
        • Na entrada da Instituição, foi colocada sinalética indicando o distanciamento mínimo (2 metros), devendo a espera pelo atendimento ser feita no exterior;
        • Na entrada dos serviços foram colocados dispensadores de desinfetante (álcool gel) e, nos casos em que o espaço de atendimento o permite, foram colocados acrílicos de proteção e limitadores do espaço;

        3. A biblioteca da instituição vai abrir?

        3. A biblioteca da instituição vai abrir?

        Ir estudar para a biblioteca não! Mas requisitar e devolver livros sim!

        • Os serviços da biblioteca apenas irão funcionar para o empréstimo domiciliário e devolução de livros;
        • Os serviços da biblioteca irão funcionar de 2.ª a 6.ª feira das 10.00h às 22.30h;
        • A reserva e pedido de livros deverá ser realizada por email e os mesmos só podem ser levantados após a receção da confirmação pela biblioteca da data de disponibilização dos mesmos;
        • A devolução dos mesmos deve realizar-se dentro das datas previstas pela biblioteca;
        • Todos os que se dirigirem à biblioteca devem cumprir as regras de distanciamento e de higienização, tais como o uso de máscara, desinfeção das mãos na entrada e cumprimento das regras de etiqueta respiratória;
        • Os livros, sempre que sejam devolvidos, deverão repousar numa estante do backoffice, que lhes será dedicada, durante um período de 2 dias, tendo em conta que, segundo os estudos sobre o assunto difundidos pelo SNS, o vírus pode permanecer nos objetos durante aproximadamente 7-9 horas, dependendo das condições climáticas;
      • 1. Os bares do ISLA vão abrir?

        1. Os bares do ISLA vão abrir?

        O acesso aos bares e espaços de aquecimento de comida deve ser condicionado, nomeadamente em ordem a limitar a 3 o número de pessoas dentro do espaço. Este acesso está limitado a:

        • no caso dos bares, a aquisição de bens alimentares;
        • O consumo dos bens alimentares deve ser feito no exterior destes espaços mantendo o distanciamento social. Foi reduzido o número de lugares sentados nos bares a um por mesa, e aumentou-se o espaçamento entre as mesas.

        2. Os serviços académicos vão abrir?

        2. Os serviços académicos vão abrir?

        O acesso aos espaços dos serviços académicos também deve ser feito num único sentido, a saber:

        • Na entrada dos serviços, foi colocada sinalética na porta e no chão indicando o distanciamento mínimo (2metros), devendo a espera pelo atendimento ser feita no exterior;
          Na entrada dos serviços foram colocados dispensadores de desinfetante (álcool gel) e, nos casos em que o espaço de atendimento o permite, foram colocados acrílicos de proteção e limitadores do espaço;
        • Foram criadas duas áreas: uma para levantamento de chaves e equipamentos e outra para a sua entrega para que, desta forma, as chaves e equipamentos possam ser desinfetados entre utilizações.

        3. A biblioteca vai abrir?

        3. A biblioteca vai abrir?

        Ir estudar para a biblioteca não! Mas requisitar e devolver livros sim!

        • Os serviços da biblioteca apenas irão funcionar para o empréstimo domiciliário e devolução de livros;
        • Os serviços da biblioteca irão funcionar de 2.ª a 6.ª feira das 10.00h às 19.00h;
        • A reserva e pedido de livros deverá ser realizada por email e os mesmos só podem ser levantados após a receção da confirmação pela biblioteca da data de disponibilização dos mesmos;
        • A devolução dos mesmos deve realizar-se dentro das datas previstas pela biblioteca;
        • Todos os que se dirigirem à biblioteca devem cumprir as regras de distanciamento e de higienização, tais como o uso de máscara, desinfeção das mãos na entrada e cumprimento das regras de etiqueta respiratória;
        • Os livros, sempre que sejam devolvidos, deverão repousar numa estante do backoffice, que lhes será dedicada, durante um período de 2 dias, tendo em conta que, segundo os estudos sobre o assunto difundidos pelo SNS, o vírus pode permanecer nos objetos durante aproximadamente 7-9 horas, dependendo das condições climáticas;
        • Nos serviços de atendimento devem privilegiar-se os contatos/esclarecimentos via email ou telefone e, caso tal não seja possível, mediante análise de cada pedido, o atendimento presencial pode ser efetuado sendo assegurada distância com marcação de zoneamento (fita autocolante) e utilização obrigatória de equipamento de proteção pelos funcionários;
        • Foram colocados painéis em acrílico transparente em frente aos postos de atendimento para assegurar a proteção de funcionários e alunos.
      • 1. O bar vai abrir?

        1. O bar vai abrir?

        O acesso aos bares e espaços de aquecimento de comida deve ser condicionado, nomeadamente em ordem a limitar a 3 o número de pessoas dentro do espaço.

        Este acesso está limitado a:

        • no caso dos bares, a aquisição de bens alimentares;
        • no caso da marmita, a preparação de refeições.

        O consumo dos bens alimentares deve ser feito no exterior destes espaços mantendo o distanciamento social.

        2. Os serviços académicos vão abrir?

        2. Os serviços académicos vão abrir?

        O acesso a estes espaços também devem ser feitos num único sentido a saber:

        • Secretaria – Entram todos pelo acesso da escadaria e saem pela porta de acesso à nave;
        • O nº de pessoas dentro dos serviços deve ser limitado, ou seja, em todos os serviços será atendida uma pessoa de cada vez aguardando a sua vez de acordo com a sinalização de distanciamento marcado no chão,  de acordo com os 2 mts;
        • Na entrada destes serviços foi colocada sinalética na porta e no chão a indicar o distanciamento (2mts) e a indicação de que devem aguardar no exterior pela sua vez;
        • Na entrada destes serviços foram colocados dispensadores de desinfetante (álcool gel) e nos casos em que o espaço de atendimento o permita devem ser colocados acrílicos de proteção e limitadores do espaço;
        • No gabinete de apoio administrativo será efetuado o levantamento e entrega de equipamentos para que estes possam ser desinfetados entre utilizações.

        3. A biblioteca vai abrir?

        3. A biblioteca vai abrir?

        Ir estudar para a biblioteca não! Mas requisitar e devolver livros sim!

        • Os serviços da biblioteca apenas irão funcionar para o empréstimo domiciliário e devolução de livros;
        • Os serviços da biblioteca irão funcionar de 2.ª a 6.ª feira das 10.00h às 12h30 e das 14h às 20.30h;
        • A reserva e pedido de livros deverá ser realizada por email e os mesmos só podem ser levantados após a receção da confirmação pela biblioteca da data de disponibilização dos mesmos;
        • A devolução dos mesmos deve realizar-se dentro das datas previstas pela biblioteca;
        • Todos os que se dirigirem à biblioteca devem cumprir as regras de distanciamento e de higienização, tais como o uso de máscara, desinfeção das mãos na entrada e cumprimento das regras de etiqueta respiratória;
        • Os livros, sempre que sejam devolvidos, deverão repousar numa estante do backoffice, que lhes será dedicada, durante um período de 2 dias, tendo em conta que, segundo os estudos sobre o assunto difundidos pelo SNS, o vírus pode permanecer nos objetos durante aproximadamente 7-9 horas, dependendo das condições climáticas;
        • Nos serviços de atendimento devem privilegiar-se os contatos/esclarecimentos via email ou telefone e, caso tal não seja possível, mediante análise de cada pedido, o atendimento presencial pode ser efetuado sendo assegurada distância com marcação de zoneamento (fita autocolante) e utilização obrigatória de equipamento de proteção pelos funcionários;
        • Foram colocados painéis em acrílico transparente em frente aos postos de atendimento para assegurar a proteção de funcionários e alunos.
      • 1. Os bares da universidade vão abrir?

        1. Os bares da universidade vão abrir?

        Espaços de refeição “marmita”

        • O acesso aos bares e espaços de aquecimento de comida deve ser condicionado, nomeadamente em ordem a limitar a 3 o número de pessoas dentro do espaço. Este acesso está limitado a:
        • no caso dos bares, a aquisição de bens alimentares;
        • no caso da marmita, a preparação de refeições.
        • O consumo dos bens alimentares deve ser feito no exterior destes espaços mantendo o distanciamento social.

        Bares

        • O acesso aos bares e espaços de aquecimento de comida deve ser condicionado, nomeadamente em ordem a limitar a 3 o número de pessoas dentro do espaço. Este acesso está limitado a:
        • no caso dos bares, a aquisição de bens alimentares;
        • no caso da marmita, a preparação de refeições.
        • O consumo dos bens alimentares deve ser feito no exterior destes espaços mantendo o distanciamento social. Foi reduzido o número de lugares sentados nos bares a um por mesa, e aumentou-se o espaçamento entre as mesas.

        2. Os serviços académicos, tesouraria, Satas e Sase vão abrir?

        2. Os serviços académicos, tesouraria, Satas e Sase vão abrir?

        O acesso aos espaços dos serviços administrativo e académicos também deve ser feito num único sentido, a saber:

        • SUC | Serviços Universitários Centrais – A entrada faz-se pela porta da tesouraria e a saída pela porta que dá para o jardim (saída da universidade);
        • PUI | Ponto Único de Informação – A entrada faz-se pela porta da esquerda e a saída pela porta da direita;
        • No espaço dos Serviços (Serviço de Ação Social Educativa, Gabinete de Admissão e Apoio ao Estudante e Serviços Universitários Centrais) – o n.º de pessoas é limitado, garantindo a existência de condições para a prestação de um serviço com o respeito à distância de segurança;
        • SATAS e SUC- devem atender em simultâneo um nº limitado de pessoas, de acordo com os m2 do espaço existente;
        • Na entrada dos serviços, foi colocada sinalética na porta e no chão indicando o distanciamento mínimo (2metros), devendo a espera pelo atendimento ser feita no exterior;
        • Na entrada dos serviços foram colocados dispensadores de desinfetante (álcool gel) e, nos casos em que o espaço de atendimento o permite, foram colocados acrílicos de proteção e limitadores do espaço;
        • No PUI foram criadas duas áreas: uma para levantamento de chaves e equipamentos e outra para a sua entrega para que, desta forma, as chaves e equipamentos possam ser desinfetados entre utilizações.

        3. A biblioteca da universidade vai abrir?

        3. A biblioteca da universidade vai abrir?

        Ir estudar para a biblioteca não! Mas requisitar e devolver livros sim!

        • Os serviços da biblioteca apenas irão funcionar para o empréstimo domiciliário e devolução de livros;
        • Os serviços da biblioteca irão funcionar de 2.ª a 6.ª feira das 10.00h às 22.30h;
        • A reserva e pedido de livros deverá ser realizada por email e os mesmos só podem ser levantados após a receção da confirmação pela biblioteca da data de disponibilização dos mesmos;
        • A devolução dos mesmos deve realizar-se dentro das datas previstas pela biblioteca;
        • Todos os que se dirigirem à biblioteca devem cumprir as regras de distanciamento e de higienização, tais como o uso de máscara, desinfeção das mãos na entrada e cumprimento das regras de etiqueta respiratória;
        • Os livros, sempre que sejam devolvidos, deverão repousar numa estante do backoffice, que lhes será dedicada, durante um período de 2 dias, tendo em conta que, segundo os estudos sobre o assunto difundidos pelo SNS, o vírus pode permanecer nos objetos durante aproximadamente 7-9 horas, dependendo das condições climáticas;
        • Nos serviços de atendimento devem privilegiar-se os contatos/esclarecimentos via email ou telefone e, caso tal não seja possível, mediante análise de cada pedido, o atendimento presencial pode ser efetuado sendo assegurada distância com marcação de zoneamento (fita autocolante) e utilização obrigatória de equipamento de proteção pelos funcionários;
        • Foram colocados painéis em acrílico transparente em frente aos postos de atendimento para assegurar a proteção de funcionários e alunos.
  • Regras para um Regresso Seguro

    Medidas para Mitigação e Contenção no regresso às atividades presenciais na comunidade universitária

    Principais Medidas Implementadas

    Proteger a sua saúde acima de tudo, por isso:

    Vamos disponibilizar uma solução de controlo da temperatura corporal à entrada do Campus e:

    • Não saia de casa, não venha às aulas, se se sente doente, ou se tem alguma suspeita;
    • Não venha às aulas se pertence a um grupo de risco;
    • Use Máscara nos seus movimentos fora de casa;
    • Mantenha uma Boa Etiqueta Respiratória, não respirando ou falando para cima de outros; em caso de espirro ou tosse, cubra a boca com o braço ou com um lenço;
    • Lave as suas mãos com frequência – com detergente - por 20 segundos pelo menos;
    • Mantenha uma permanente higiene das mãos em especial, mantendo-as afastadas da boca, nariz e olhos;
    • Não partilhe nada do que é seu, nada do seu uso pessoal, com os outros sem que o haja
      desinfetado previamente;

    Para um uso seguro do campus não são permitidos:

    • Ajuntamentos com mais de 5 pessoas e um distanciamento menor que 2 metros;
    • Acesso a espaços de ensino a pessoas com mais de 70 anos de idade ou integrantes dos grupos de risco definidos pela DGS;
    • Acesso ao Campus a pessoas com mais de 38º de temperatura corporal;
    • Permanência nos espaços do campus fora dos períodos de aulas ou estritamente necessários para tratamento de qualquer assunto junto dos serviços;
    • Permanecer nos corredores dos edifícios;
    • Atividades que exijam um nível de proximidade desaconselhável – incluindo atividades lúdicas;
    • Devem ser cumpridas todas as regras de utilização de acesso e circulação às salas de aula, laboratórios e edifícios;

    Como é que posso proteger os outros e proteger-me a mim?

    • Privilegiando a utilização dos serviços online da universidade e o contacto por email ou por telefone;
    • Aguardando pelos docentes no exterior dos mesmos mantendo o devido distanciamento;
    • Dirigindo-se à universidade “com um pouco de antecedência” por forma a evitar ajuntamentos nos pontos de acesso;
    • Cumprindo todas as regras de conduta, acesso e circulação no campus, quer de acesso e utilização dos serviços (biblioteca, serviços académicos, SASE, SATA, PUI, bares e marmita), quer aos edifícios, salas de aula, laboratórios e espaços exteriores;
    • Procedendo à desinfeção/ lavagem das mãos à entrada e à saída da sala;
    • Praticando as regras de “etiqueta respiratória”;
    • Cumprindo a obrigatoriedade do uso de máscara;
    • Não partilhando os objetos pessoais (canetas por exemplo);
    • Dirigindo-se a casa assim que terminar as suas atividades letivas na Universidade.

    Como vão ser organizadas as aulas práticas (incluindo as aulas de informática) e laboratoriais?

    • Em salas que permitam um distanciamento adequado entre alunos (mínimo de 2 metros);
    • Corredores / salas equipadas com uma solução desinfetante (fórmula da OMS) produzida nos nossos laboratórios;
    • Procedendo à desinfeção/ lavagem das mãos à entrada e à saída da sala;
    • Praticando as regras de “etiqueta respiratória”;
    • Utilizando máscara facial (o uso de luvas é recomendado para as aulas laboratoriais);
    • Usando bata nas aulas laboratoriais de ciências;
    • Cumprindo regras de entrada e saída das salas que evitem o cruzamento de estudantes;

    Para a segurança de toda a Universidade garante:

    • Que todos os corredores / salas dedicadas ao ensino prático (incluindo as aulas de informática) e laboratorial estarão equipadas com gel desinfetante (fórmula da OMS);
    • Que teremos máscaras para disponibilizar a todos os alunos, caso estes não tragam a sua própria máscara;
    • Que a nossa unidade de Limpeza e Manutenção assegurará a desinfeção de todos os espaços;
    • de ensino e investigação, e respetivos acessos, várias vezes ao dia, com soluções biocidas desinfetantes garantindo a total salubridade do local;
    • Que os funcionários utilizarão máscaras ou viseiras para proteção de todos;
    • Que os postos de atendimento terão sistemas de proteção individual;

    Qualquer inconformidade ou circunstância que não respeite as medidas aqui divulgadas deve ser, de imediato, reportada no PUI (ponto único de informação) para correção imediata.

    Este é um novo recomeço que podemos iniciar com toda a CONFIANÇA

  • Horários

    Podes consultar a partir de 5 de maio, o teu horário SEMANAL no netPA – Portal Académico ou na APP Ensino Lusófona, quer as aulas a distância (e-learning), quer as presenciais (práticas e laboratoriais).

    Calendário Académico

    Um dos principais efeitos da perturbação causada pela pandemia de COVID-19 foi a disrupção do calendário normal de atividades da Universidade. Na medida em que diferentes unidades curriculares atividades foram afetadas de forma diferente, surge agora no contexto deste regresso ao Campus a necessidade de proceder à reorganização do calendário académico do ano letivo de 2019/20 conforme a seguir se enuncia:

    • Período de lecionação e avaliação contínua para as unidades curriculares que estão a ser integralmente lecionadas em regime de ensino a distância Aulas até 12 junho 2020
      Poderão existir diferenças de calendarização entre UOs
      Período de lecionação e avaliação contínua para as unidades curriculares que não tiveram lecionação ou que só tiveram lecionação parcial em regime de ensino a distância
      O o aluno deve consultar calendário específico por UC
      Aulas até 10 julho 2020 com concentração bissemanal de sessões se necessário
      Época de Exames recurso 15 a 31 julho 2020
      Poderão haver calendários diferenciados por UO
      Exames época especial

      1 a 25 setembro 2020
      Poderão haver calendários diferenciados por UO

      Extensão de calendário para apresentação e defesa de teses e projetos finais 2019/20 Até 28 de fevereiro 2021
    • Período de lecionação e avaliação contínua para as unidades curriculares que não tiveram lecionação ou que só tiveram lecionação parcial ou parcial em regime de ensino a distância: Aulas até 10 julho com concentração bissemanal de sessões se necessário. Avaliação contínua até 14 de julho.
      Período de lecionação e avaliação contínua para as unidades curriculares que estão a ser integralmente lecionadas em regime de ensino a distância: Aulas até 13 junho
      Poderão existir acertos de calendário por UO.
      Período final da Avaliação Contínua (após término das aulas): 15 de junho a 3 de julho últimas provas de avaliação contínua. Período para lançamento das notas: Até 08 de julho
      Época de Exames recurso (para Avaliação Contínua que terminou a 3 de julho): 9 a 31 julho 2020
      Poderá haver calendários diferenciados por UO.
      Época de Exames recurso (para Avaliação Contínua que terminou a 14 de julho): 15 a 31 julho 2020
      Poderá haver calendários diferenciados por UO.
      Exames época especial (poderão haver calendários diferenciados por UO): 1 a 25 setembro 2020
      Extensão de calendário para apresentação e defesa de teses e projetos finais 19/20: Até 28 de fevereiro 2021
    • A reorganização do calendário escolar prevê:

      • Período de lecionação e avaliação contínua para as unidades curriculares que estão a ser integralmente lecionadas em regime de ensino a distância: Aulas até 16 junho 2020.
      • Exames de 1ª Época: 22 de junho 2020 a 03 de julho 2020
      • Exames de 2ª Época de Recurso: 06 de julho a 31 de julho 2020
      • Exames de Época Especial: 01 de setembro a 16 setembro 2020
      • Extensão de calendário para apresentação e defesa de dissertações e estágios dos Cursos Técnicos Superiores Profissionais 2019/20: até 28 de fevereiro 2021
      • Período de lecionação e avaliação contínua para as unidades curriculares que estão a ser integralmente lecionadas em regime de ensino a distância:
        Aulas até 30 junho 2020
      • Período de lecionação e avaliação contínua para as unidades curriculares que não tiveram lecionação ou que só tiveram lecionação parcial em regime de ensino a distância (o estudante deve consultar calendário específico por UC):
        Aulas poderão decorrer até 09 julho 2020
        com concentração bissemanal de sessões se necessário;
      • Época de Exames:
        01 a 31 julho 2020
        Poderá haver calendários diferenciados por curso;
      • Exames época especial:
      • 1 a 25 setembro 2020
        Poderá haver calendários diferenciados por curso;
      • Extensão de calendário para apresentação e defesa de teses e projetos finais 2019/2020:
        Até 28 de fevereiro 2021
    • À partida, o calendário escolar em vigor não requer qualquer alteração, pelo que, tal como definido, o período letivo do 2º Semestre decorrerá até 10 de julho, do qual estão previstas as 3 últimas semanas para a compensação de horas de contacto e provas finais de avaliações contínuas.

    • Calendário 2019-2020

      Regresso a atividades presenciais acontecerá no seguinte calendário:

      • 4 de maio - Abertura dos serviços
      • 18 de maio - Acesso de docentes e estudantes às instalações para as atividades estritamente necessárias.
      • 6 a 31 de julho - Exames 1.ª época (presenciais)
      • 1 a 25 de setembro - Exames época de recurso (presenciais)
      • 5 a 23 de outubro - Exames época especial (presenciais)

      Calendário 2020-2021

      Inicio do ano letivo 2020-2021:

      • 6 de outubro - 2º ano cursos técnicos superiores profissionais e 2.º e 3.º anos de licenciaturas
      • 12 de outubro – 1ºs anos cursos TeSP e 1.º ciclo (licenciaturas)
      • 23 de outubro – 1ºs e 2.ºs anos de 2.º ciclo (mestrados)
      • Cursos de pós-graduação /MBA a definir caso a caso
      • Período de lecionação e avaliação contínua para as unidades curriculares que estão a ser lecionadas em regime de ensino à distância: aulas até 10 julho 2020
      • Época de avaliação (frequências e exames 1ª época): 13 julho a 31 de julho, e de 1 a 14 de agosto 2020
      • Exames 2ª época: 1 a 30 setembro 2020
      • Período de lecionação e avaliação contínua para as unidades curriculares que estão a ser integralmente lecionadas em regime de ensino a distância: Aulas até 12 junho 2020 
        Poderão  existir diferenças de calendarização entre cursos.
      • Época de Exames do 2º semestre – 1ª Época: 16 a 26 junho 2020
        Poderão haver calendários diferenciados por curso.
      • Época de Exames do 2º semestre – 2ª Época – recurso: 30 de julho a 24 julho 2020
        Poderão haver calendários diferenciados por curso.
      • Exames época especial: 1 a 25 setembro 2020
        Poderão haver calendários diferenciados por curso.
      • Extensão de calendário para apresentação e defesa de teses, projetos finais de curso e relatórios finais de estágio 2019/20 (dependendo do reinicio e final dos estágios): Até 28 de fevereiro 2021

Serviços on-line

Opte pelo atendimento e pelos serviços online.

  • ULHT Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias
  • ULP Universidade Lusófona do Porto
  • IPLUSO Instituto Politécnico da Lusófonia
  • ISMAT Instituto Superior Manuel Teixeira Gomes

Acesso a Estacionamento

Registo ULHT / IPLUSO
Registo ULP

Aqui podem encontrar informações e formas de aceder aos recursos e tecnologias que disponibilizamos para ensino e colaboração a distância.

Contacto de Emergência

Como indicado pela Direção Geral da Saúde se sentir qualquer sintoma, ligado ao COVID 19, deverá utilizar a linha Saúde 24 ligando para o número:

808 24 24 24

No entanto:

  • A Universidade possui, devidamente identificada, no rés-do-chão do Edifício L, uma sala com 3 gabinetes de isolamento devidamente apetrechados;
  • Disponibiliza para esclarecimento de dúvidas um número de telemóvel e um email: 21 751 55 00 regresso@ulusofona.pt
  • Um número direto médico COVID 19 de atendimento permanente 217 987 758
  • LIGA-TE | Linha de apoio psicológico aos estudantes do Universo Lusófona (ULHT, ULP, ISMAT, IPLUSO) 21 751 55 99
    Horário: De 2ª a 6ª feira: 10h-12h e 14h-19h; Domingo- 14h- 16h
  • ULHT Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias
  • ULP Universidade Lusófona do Porto
  • IPLUSO Instituto Politécnico da Lusófonia
  • ISMAT Instituto Superior Manuel Teixeira Gomes
  • ISLA Gaia Instituto Politécnico de Gestão e Tecnologia
  • ISLA Santarém Instituto Superior de Gestão e Administração de Santarém
  • INP Instituto Superior Novas Profissões
  • ISDOM Instituto Superior Dº Dinis
  • ESEAG Escola Superior de Educação Almeida Garret
  • Campo Grande, 376, 1749-024 Lisboa
  • 217 515 500
  • info@ulusofona.pt
  • www.ulusofona.pt

Copyright © 2020 COFAC. Todos os direitos reservados. Gestão de conteúdos por Produção Multimédia